Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 040 (Feeding the five thousand)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish? -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur? -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 2 – A Luz Resplandece nas Trevas (João 5:1 – 11:54)
B – Jesus é o Pão da Vida (João 6:1-71)

1. Alimentando cinco mil pessoas (João 6:1-13)


Em Jerusalém revelou sua divindade no Sábado realizando uma cura, mostrando, assim, o vácuo entre o amor de Deus e os pensamentos à toa dos legalistas. Eles resolveram se livrar dele por ódio. O Espírito Santo conduziu Jesus ao norte para a Galiléia, onde um rompimento decisivo entre ele e seus oponentes aconteceria. As multidões continuavam a segui-lo aonde quer que fosse.

JOÃO 6:1-4
1 Depois disto partiu Jesus para o outro lado do mar da Galiléia, que é o de Tiberíades. 2 E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos. 3 E Jesus subiu ao monte, e assentou-se ali com os seus discípulos. 4 E a páscoa, a festa dos judeus, estava próxima.

Desde que Cristo repreendeu os Legalistas em Jerusalém, eles conspiraram contra ele e o espionaram. Mas, sua hora ainda não havia chegado, então ele saiu da jurisdição do Sinédrio voltando para a Galiléia. Como lemos nos três últimos evangelhos, ele realizou muitos milagres ali. Houve muito barulho a respeito de sua chegada, mas Jesus se preocupou e nem se deixou levar pelo barulho porque Ele sabia que a mentalidade desleal que conhecera antes na capital se infiltraria nas vilas e ele seria incomodado por eles ali também. Então ele foi para Golã, a leste do Jordão, para ficar sozinho com seus discípulos. No entanto, as multidões famintas por suas palavras o seguiram, querendo vivenciar seus milagres. Naquele ano Jesus não voltou a Jerusalém para a Páscoa porque a hora de sua morte ainda não havia chegado. Ele celebrou a festa com as multidões à sua volta, o substituto da Páscoa; dessa forma apontando para o banquete celestial onde o Salvador se unirá a seus santos com grande alegria.

JOÃO 6:5-13
5 Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem? 6 Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer. 7 Filipe respondeu-lhe: Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão, para que cada um deles tome um pouco. 8 E um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe: 9 Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos? 10 E disse Jesus: Mandai assentar os homens. E havia muita relva naquele lugar. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil. 11 E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, e os discípulos pelos que estavam assentados; e igualmente também dos peixes, quanto eles queriam. 12 E, quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca. 13 Recolheram-nos, pois, e encheram doze alcofas de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido.

Quando Jesus viu as multidões se aproximando, ele levantou seus olhos para seu pai celestial honrando-lhe e dando-lhe glória e entregando a Deus o cuidado pelos famintos. Com isso o milagre começou. O Pai deu ao Filho a tarefa que revelaria os corações.

Primeiro, Jesus testou os discípulos, para ver se a fé deles estava crescendo ou se ainda continuava presa ao materialismo e com ideias meramente terrenas, quando perguntou a Felipe sobre de onde viria o pão. Pensou nas padarias, mas Jesus pensava em seu Pai. Nós pensamos em problemas financeiros e nos altos custos de vida, mas Jesus pensava no Ajudador Divino. Instantaneamente, Felipe pensou nos custos envolvidos ao invés de recorrer à fé. Quem olha para o dinheiro falha em ver as possibilidades divinas. Os cálculos dos discípulos foram racionais: não havia padarias ou vendas de trigo por perto e nem tempo para se fazer pão. Mas as pessoas estavam ali, famintas após uma longa sessão ouvindo ao Senhor.

De repente o Espírito moveu André que percebeu um rapaz com cinco pães e dois peixes. Ele chamou o garoto, “Por favor, dê os pães e peixes que você tem”. André ficou apreensivo, sabendo que a quantia de comida era totalmente inadequada. Então Jesus levou os discípulos a admitir sua fulha, já que eles não sabiam o que fazer e nem sabiam a vontade de Deus e o que Jesus estava prestes a fazer.

Jesus ordenou que os discípulos organizassem as pessoas, e eles fizeram as pessoas se sentarem, como num grande banquete.

Grama verde cobria o chão que poderia ser um símbolo da fé brotando nas multidões. Cinco mil homens, mais mulheres e crianças são um número muito grande. A maioria deles não havia visto Jesus antes e nem suas obras, mas eles se sentaram após seu pedido.

Calmamente Jesus pegou os pães e decidiu demonstrar seu poder criativo nessa ocasião. Ele apresentou ao Pai os cinco pães agradecendo-Lhe por eles. Ele cria que Deus abençoaria aquela pequena quantia e a multiplicaria até superabundar. O agradecimento pelo pouco e sua honra ao Pai foram o segredo desse milagre. Você agradecidamente aceita as pequenas quantias que Deus te dá ou você fica se queixando? Você compartilha o pouco que tem com seus amigos? Jesus era altruísta; o amor de Deus estava nele e Ele honrou ao Pai e distribuiu a benção de Deus a todos.

O milagre registrado nos quatro evangelhos é apresentado sem alerde. Parece algo simples, mas aquele sentados próximos de Cristo testemunharam e perceberam que conforme ele partia os pães, mais pães apareciam, e o estoque parecia sem fim. Eles começaram a distribuir a todos dando a cada um a quantidade que precisasse. Esse é o sinal da graça. Deus oferece perdão e o Espírito sem medida. Pegue o tanto que você quiser; creia ao ponto que você puder. Abençoe os outros. Abençoe como você foi abençoado e, assim, você se tornará um fonte de bençãos para os outros.

Em Caná Jesus transformou a água em vinho e em Golã ele fez com que cinco pães alimentassem mais de cinco mil pessoas. Surpreendentemente ao fim sobrou mais do que o tanto que havia quando começou! O número de cestos cheios que sobraram foi de doze e Jesus ordenou que nada fosse jogado fora. É uma vergonha que hoje as pessoas joguem foram seus restos de comida sabendo que a cada hora milhares de pessoas morrem de fome. Não jogue fora as bençãos que te são dadas, mas ajunte as migalhas da graça.

Visualize a atitude do rapaz quando Jesus pegou o pão de suas mãos e quando ele viu os pães se multiplicando. Seus olhos devem ter ficados maravilhados. Ele jamais se esqueceria desse milagre.

ORAÇÃO: Obrigado, Senhor Jesus, por sua paciência e amor. Perdoe nossa falta de fé. Nos ensine a nos voltar a ti quando aflitos e que não confiemos em nossas habilidades, mas que confiemos em sua provisão. Te agradecemos pelas riquezas espirituais que nos concede e até mesmo pelas pequenas posses materiais que temos. O Senhor nos abençoará. Ajude-nos a não desperdiçar nada e nem neglicenciar suas dádivas.

PERGUNTA:

  1. Qual é o segredo do milagre de alimentar cinco mil pessoas?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 10:47 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)