Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 019 (The first six disciples)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish? -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur? -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 1 – O Brilho da Luz Divina (João 1:1 – 4:54)
B – Cristo conduz seus discípulos da esfera do arrependimento para a alegria do Casamento (João 1:19 – 2:12)

3. Os primeiros seis discípulos (João 1:35-51)


JOÃO 1:47-51
47 Jesus viu Natanael vir ter com ele, e disse dele: Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo. 48 Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus respondeu, e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi eu, estando tu debaixo da figueira. 49 Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel. 50 Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? Coisas maiores do que estas verás. 51 E disse-lhe: Na verdade, na verdade vos digo que daqui em diante vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem.

Natanael ficou um tanto surpreso quando entendeu que Jesus conhecia seu íntimo. Natanael era um crente segundo os padrões do Antigo Testamento, por isso confessou seus pecados a João Batista e desejou o Reino de Deus com todo seu coração. Isso não é auto-justificação, mas é a atitude correta diante do pecado daqueles de bom coração – clamavam a Deus para que enviasse o Messias Salvador. Jesus ouviu essa oração e viu o suplicante à distância que ele estava sob a sombra de uma árvore. Esse poder para revelar fatos ocultos nos homens é uma visão divina.

Jesus não o rejeitou, mas o justificou descrevendo-o como um crente modelo, estabelecido no Antigo Testamento, aguardando a vinda do Cristo.

O elogio de Cristo acabou com as dúvidas de Natanael. Ele se rendeu a Jesus e o honrou usando títulos Bíblicos que pertencem ao Messias: Filho de Deus e Rei de Israel. Tais expressões que Natanael disse poderiam ter-lhe causado a morte porque os Escribas e membros do Conselho Judeu negavam que Deus teria um Filho. Tais expressões poderiam ser tomadas como blasfêmia. E o título de Rei de Israel poderia levá-lo a ser perseguido por Herodes, bem como poderia ser preso pelas autoridades Romanas. Assim, esse crente sincero demonstrou seu apego às importantes promessas reveladas pelos profetas. Ele temia mais a Deus que aos homens, e honrou a Deus imputando-lhe o título de Pai, custasse o que custasse.

Nenhum dos discípulos anteriores deu a Cristo esses nomes como o fez Natanael. Surpreendentemente Jesus não rejeitou nenhum desses títulos, mas aumentou sua atenção mostrando-lhe os céus abertos. O tempo todo ali Cristo esteve envolto por anjos invisíveis, ascendendo ao céu, apresentando seus milagres ao Pai e retornando ao Filho, com as mãos transbordantes de bênçãos. Assim a visão de Jacó foi cumprida, porque em Jesus encontramos a plenitude das bênçãos. Tal como Paulo escreveu, “Bendito o Deus Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com toda sorte de bênçãos espirituais nas regiões celestiais”. Do nascimento de Cristo ao seu batismo o céu permaneceu aberto. Antes disso o céu foi fechado por causa da ira de Deus, com anjos permanecendo ao lado dos portões com espadas desembainhadas. O portal que conduz a Deus agora estava aberto em Cristo.

Aqui pela primeira vez João usa a frase típica de Cristo “Em verdade, em verdade vos digo...”. A realidade dessa era de graça era tão elevada que estava acima da mente humana, mas mesmo assim o homem a precisava como base para nossa nova fé. Quando quer que Jesus repita essa frase, nós devemos parar e ponderar sobre sua intenção, já que o que vem em seguida à frase é uma revelação espiritual superior às nossas mentes.

Após essa proclamação, Cristo corrigiu o testemunho de Natanael como uma precaução contra a perseguição dirigida contra ele e seus seguidores. Jesus não disse, eu sou o Rei prometido, Filho de Deus, mas se chamou de “Filho do Homem”. Esse é um título que Jesus geralmente usou para si mesmo. Sua encarnação é única; ele se tornou como nós – isso é um grande milagre, o Filho de Deus se tornando homem, para morrer como o Cordeiro de Deus por nós.

Ao mesmo tempo o título “Filho do Homem” aponta para um mistério mencionado no livro de Daniel. Deus incumbiu o “Filho do Homem” para julgar. Natanael percebeu que Jesus não era apenas Rei e Filho, mas também o Juiz do mundo – o Divino em forma humana. Assim Jesus conduziu o crente triste para os mais elevados estágios da fé. Ter tal fé não era fácil, já que Jesus era um jovem rapaz do interior do país. Mas, pela fé, os discípulos viram a glória oculta nele – com os céus abertos sobre suas cabeças.

ORAÇÃO: Te adoramos, Filho de Deus e Juiz do universo. Não merecemos nada além da ira, mas pedimos perdão por sua graça e misericórdia por nossos amigos. Derrame suas bênçãos sobre todos os que buscam a Deus, que possam te ver, te conhecer e te amar, para que creiam em ti e cresçam e conhecimento e esperança.

PERGUNTA:

  1. Que ligação há entre os títulos “Filho de Deus” e “Filho do Homem”?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 10:26 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)