Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 112 (Christ's word to his mother; The consummation)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish? -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur? -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 4 - A luz vence as Trevas (João 18:1 – 21:25)
A – Eventos da prisão ao funeral (João 18:1 – 19:42)
4. A cruz e a morte de Jesus (João 19:16b-42)

c) A palavra de Cristo para sua mãe (João 19:25-27)


JOÃO 19:25-27
25 E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena. 26 Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. 27 Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.

João não registra primeira palavra de Jesus da cruz, para perdoar o mundo inteiro. Ele também não menciona o escárnio contínuo dos judeus, ou perdão de Jesus ao ladrão na sua mão direita. Esses eventos já estavam familiarizados na igreja, quando João escreveu.

Quando os sacerdotes deixaram o local da cruz, sem ouvir sua súplica e seu pedido de perdão do Pai, também deixou as multidões, correndo a Jerusalém para sacrificar cordeiros pascais. O tempo de preparação foi curto. Os governantes religiosos também passaram a realizar o ritual para a grande festa nacional. As cornetas soaram das paredes da cidade, os cordeiros mortos no templo, e o sangue escorria abundantemente. O templo ressoava com louvores. Fora de Jerusalém, pendurado do Cordeiro santo de Deus sobre a árvore maldita, abandonado e desprezado. Os guardas romanos pagãos estavam guardando os três na cruzamentos.

Naquele momento, algumas mulheres se aproximaram da cruz em silêncio, e ficou em silêncio. Os eventos anteriores confundiram suas mentes. O Todo-Poderoso estava pairando sobre suas cabeças com muita dor. Palavras de conforto não foram dadas, e o coração não poderia orar. Talvez alguns cochichavam textos a partir dos Salmos.

Jesus ouviu o clamor sincero de sua mãe e compreendeu as lágrimas de seu amado discípulo João. Ele não pensa muito do seu estado, apesar da abordagem de sua morte. De repente, ouviram sua voz, "Mulher, eis aí o teu Filho".

O amor de Cristo foi ao extremo, cuidando do bem-estar dos seus entes queridos no meio do seu sofrimento para resgatar o mundo. O que Simeão predicou pela Virgem foi cumprido, que a espada haveria de trespassar a alma (Lucas 2:35).

Não é possível prever a sua mãe com o dinheiro ou uma casa, ele ofereceu-lhe o amor que ele tinha derramado em seus discípulos. João tinha vindo com a mãe de Cristo (Mateus 27:56), mas ele não menciona seu próprio nome ou o da Virgem, de modo a não prejudicar a honra devida a Cristo nesta hora de sua glória. Quando ele dirigiu e comprometidos a mãe a seu cuidado, então só fiz o discípulo entra-se no esplendor da cruz. Ele abraçou Maria e recebeu em sua casa.

O resto das mulheres testemunhou essa preocupação. O Senhor tinha resgatado um deles de sete demônios. Isso foi Maria Madalena. Ela experimentou pode vitoriosa de Jesus em sua alma. Ela amava o Salvador e seguiram-no.


d) A consumação (João 19:28-30)


JOÃO 19:28-29
28 Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede. 29 Estava, pois, ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e, pondo-a num hissope, lha chegaram à boca.

João, o evangelista tinha o dom de dizer muito em poucas palavras. Ele não nos diz nada sobre a escuridão que cobriu a terra, nem que ouvir o choro de abandono de Cristo na ira de Deus sobre nossos pecados. Mas nós somos informados de que no final de sua luta mortal, com duração de três horas, ele sentiu a aproximação da morte. João não considerar a morte como tendo Jesus engolido, mas que Jesus tinha vontade rendeu a ele. Sua alma estava esgotada na conclusão da obra universal da redenção. Jesus viu a salvação perfeita disponível para todos, como sua morte iria libertar milhões de pecadores de suas culpas e concedei-lhes o direito de vir a Deus. Ele viu a colheita e os frutos da sua morte antes.

Neste ponto, um suspiro escapou de seus lábios, "Tenho sede". Ele, que criou o universo e andou sobre a água, que era composta de oxigênio e hidrogênio, é sede. Amor encarnado era a saudade de um amor do Pai, que havia escondido o seu rosto de Seu Filho. Esta é uma cena do inferno, onde o homem tem sede de corpo e alma, e não pode encontrar refrescante. Mais cedo, o Cristo havia mencionado o rico no inferno com uma sede poderoso no fogo infernal, que pediu a Abraão que enviasse Lázaro a colocar o dedo embebido em água fria e aliviar a garganta inchada. Jesus era um homem verdadeiro, resistindo a sede natural, mas ele não admitiu a sua sede até a obra de salvação foi cumprida. Então, o Espírito Santo lhe revelou que seu ministério redentor tinha sido anunciado um milhar de anos anteriores no Salmo 22:13-18, beber vinagre também foi citado no Salmo 69:21. Não sabemos se os soldados ofereceram a Jesus beber vinagre de vinho ou misturado com água, quer como desprezo ou lamentar. Sabemos que não era água pura. O homem Jesus, que é o Filho de Deus, foi neste momento desamparado.

JOÃO 19:30
30 E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

Depois de Jesus ter provado o vinagre de ira, ele pronunciou a palavra de vitória: "Está consumado!" Um dia antes deste grito de triunfo, o Filho pediu ao Pai para glorificá-lo na cruz por nosso resgate, que o Pai, Ele mesmo, seja glorificado. O Filho reconheceu na fé de que esta oração seria respondida, que tinha completado a obra que o Pai lhe tinha dado (João 17:1,4).

Como pura é Jesus na cruz! Nenhuma palavra de ódio escapou de seus lábios, nem um suspiro de pena ou um grito de desespero, mas ele perdoou seus inimigos segurando o amor de Deus, que parecia ser um inimigo para nós. Jesus sabia que tinha terminado a obra da redenção, porque Deus fez perfeito o pioneiro da nossa salvação através do sofrimento. Ninguém pode sondar as profundezas e as alturas do amor trinitário, porque o Filho se ofereceu a Deus através do Espírito eterno, sem mácula, um sacrifício vivo (em hebraico 9:14).

Desde o último grito de Cristo na cruz, a salvação é completa, não precisando ser mais perfeito. Não é a nossa contribuição, nossas boas obras, nossas orações, nossa santificação que traz consigo a nossa justiça ou adicionado a santidade em nossas vidas. O Filho de Deus fez tudo isso uma vez por todas. Com a sua morte, uma nova era raiou e reina a paz, porque o Cordeiro de Deus imolado nos reconciliou com o Pai Celestial. Quem crê é justificado. As Epístolas são os comentários sobre as palavras de Jesus, final e divina, "Está consumado!".

Jesus, inclinando a cabeça, finalmente, em reverência e majestade. Ele entregou sua alma nas mãos de seu pai que o amava. Este amor que o levou ao trono da graça, onde ele se senta hoje na mão direita do Pai, um com ele.

ORAÇÃO: Ó Santo Cordeiro, que tirou o pecado do mundo, você é digno de receber poder, riqueza, sabedoria, poder, honra, glória bênção, e minha vida também. Erga meu olhar para te ver, ó Crucificado, pedindo perdão por toda minha culpa, e que eu seja confiante de que você vai me fazer santo pela sua graça e sangue.

PERGUNTA 116: Quais são as três palavras de Jesus?

Top

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 12:12 PM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)