Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 104 (Jesus intercedes for the church's unity)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish? -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur? -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 3 – A luz brilha no Círculo dos Apóstolos (João 11:55 – 17-26)
E – A oração intercessória de Jesus (João 17:1-26)

4. Jesus intercede pela unidade da igreja (João 17:20-26)


JOÃO 17:20-21
20 E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; 21 para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.

Cristo firmou os seus discípulos no amor de Deus e no poder do Espírito, pedindo ao Pai que os guarde do Maligno antes de sua crucificação. Após tornar-se certo de que a oração em nome de seus apóstolos e da Igreja foi respondida, ele olhou para o futuro e viu multidões de crentes surgindo da mensagem de seus apóstolos. A imagem do crucificado Vitorioso sobre Satanás e o pecado os cativou. Através da sua confiança no Cristo vivo o Espírito desceu em seus corações para que pudessem compartilhar a graça da vida divina. Pela fé foram unidos com o Pai e o Filho em união eterna.

Cristo orou por aqueles crentes que acreditariam pelos apóstolos. Surpreendentemente, quando ele orou, eles ainda não haviam sido encontrados. Suas palavras provam a idoneidade base da mensagem dos apóstolos. Então, qual é a essência de sua demanda para nós? Ele orou por nossa saúde? Por nossa prosperidade, o nosso sucesso no futuro? Não! Ele pediu ao Pai que nos conceda a humildade e amor para que possamos ser um com todos os Cristãos sinceros. Não devemos pensar que somos melhores do que outros ou achar que o comportamento alheio é insuportável.

A unidade dos crentes é o objetivo de Cristo. A Igreja dividida está em contradição com seu plano para ela. No entanto, esta unidade que Cristo pediu não pode ser construída em regime eclesiástico, mas é uma ligação espiritual na oração e no Espírito acima de tudo. Como Deus em sua essência é um só, assim Cristo rogou ao Pai para trazer todos os fiéis para a comunhão do Espírito Santo, que tudo pode ser seguro nEle. No entanto, Cristo não orou: "Que eles sejam um em mim ou em você", mas "em nós". Assim, ele sugere que esta unidade perfeita peculiar ao Pai e Filho no Espírito é o modelo. Ele deseja levantar-lhe a esse nível porque fora da comunhão trinitária não há nada, exceto o inferno.

O objetivo de ser criado na unidade de Deus não é agradar a nós mesmos espiritualmente, mas para nós testemunharmos perante outras pessoas que vivem longe de Deus. Felizmente, eles vão perceber que estão mortos em pecado e em perversidade, que vivem em soberba e são escravos de suas paixões, e por isso eles precisam se arrepender e voltar para Salvador. Vocês que estão se agarrando ao Pai, Filho e Espírito Santo vão receber força para serem humildes, amorosos, terem liberdade espiritual. Terão alegria em sua presença e com os outros se tornarão testemunhas do amor de Cristo. Somos todos a prova da divindade do homem Jesus. Se todos os Cristãos fossem sinceros, nenhum não-cristão existiria no mundo. Nosso amor e paz atrairiam a todos e os transformaria. Vamos dar atenção à busca por Jesus e a união com Ele! Você pretende continuar a ser a razão para as pessoas não acreditarem em Cristo porque você se recusa a estar unido com os fiéis e, assim, por contribuir para a divisão da igreja, que é o corpo de Cristo?

JOÃO 17:22-23
22 E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. 23 Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim.

Qual é a glória de Jesus? É o seu brilho ou a luz de sua majestade? Não! Sua glória está escondida atrás de sua humildade, paciência e gentileza. Toda virtude dos dons do Espírito é um raio de sua glória. Assim, João viu, testificando, "Nós vimos a sua glória". Ele não estava se referindo à transfiguração ou à ressurreição apenas, mas também para a manjedoura e sua cruel cruz. Nestes a glória do amor divino apareceu claramente onde o Filho se esvaziou da glória e representou a essência de sua majestade na forma de homem. Esta é a glória que Jesus tem derramado sobre nós. O Espírito do Pai e do Filho desceu sobre nós.

O propósito desta distinção que nos foi dada não é para exibição e autopropaganda, mas para que possamos apresentar unidade para o serviço e atender mutuamente aos serviços, honrando sempre ao outro. Com estes princípios espirituais Jesus pediu ao Pai pela mesma unidade e comunhão que caracterizam a Santíssima Trindade, para tenhamos todos nós estas características. O amor de Deus é a medida para testar a Igreja. Ele é quem nos molda em sua imagem eterna.

Verdadeiramente, Deus habita em sua plenitude na Igreja (Efésios 1:23, Colossenses 2:9). Ou será que lhe falta a coragem de pronunciar as palavras que vêm na mesma passagem, "Em Cristo, a plenitude da divindade habita corporalmente, e nós somos perfeitos nele". Este testemunho apostólico é a prova de que as orações de Jesus antes de sua morte foram respondidas. Nós adoramos e louvamos ao Senhor porque ele não nos despreza, miseráveis e culpados como somos, mas ele nos limpou e nos santificou e juntou-se a nós para que ele possa viver a sua vida através de nós. Jesus estava confiante de antemão que nós poderíamos ser perfeitos em amor e humildade. Vamos amar e respeitar um ao outro. Não é a perfeição em termos de riqueza, habilidades, sabedoria, mas de misericórdia e de amor e bondade é o que ele deseja em nós. A compaixão e a tolerância era seu principal objetivo, quando disse: "Sede perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito". Este mandamento resume sua atitude para amar os inimigos. Mas, em sua oração de intercessão que pretendia um maior grau de perfeição, uma unidade espiritual da Igreja e com Deus. O Espírito não conduz à introversão ou isolamento, mas na comunhão dos santos. A unidade trinitária é o nosso padrão, e nós não representamos Deus no mundo a menos que nós sejamos um. Como os indivíduos levaram a imagem de Deus no Antigo Testamento, mais deveria a Igreja com seus membros mostram a imagem da Santíssima Trindade.

Harmonia no seio da Igreja impressiona os mundanos e eles vêm que isso tudo vem de Deus. Eles começam a ver que Deus é amor. Não se trata de meras palavras ou explicações longas que criam a fé em si mesmos. É alegria nas assembléias dos filhos de Deus que falam mais alto e melhor do que longos sermões. Então, o Espírito Santo se unem a Igreja primitiva em Jerusalém, em uma unidade espiritual genuína.

ORAÇÃO: Obrigado, Senhor Jesus porque, apesar de sermos indignos, tu nos levas à fé em ti. Você nos fez teus servos com o testemunho de seu amor. Nós te adoramos, porque você nos limpa e nos equipa para que nos tornemos membros de seu corpo espiritual. Nos firme no amor da Santíssima Trindade. Nós engrandecemos, te louvamos e te imploramos que nos dê perdão força para viver em nossas igrejas em unidade.

PERGUNTA:

  1. O que Jesus pediu a seu Pai para o nosso benefício?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 11:53 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)