Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 114 (The First Hearing of the Trial)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 2 - Registros sobre a pregação entro os Gentios e a fundação das igrejas de Antioquia a Roma – Através do ministério do Apóstolo Paulo, comissionado pelo Espírito Santo (Atos 13 - 28)
E - Paulo preso em Jerusalém e na Cesaréia (Atos 21:15 - 26:32)

9. A primeira audiência do tribunal em Cesaréia (Atos 24:1-23)


ATOS 24:10-23
10 Paulo, porém, fazendo-lhe o presidente sinal que falasse, respondeu: Porque sei que já vai para muitos anos que desta nação és juiz, com tanto melhor ânimo respondo por mim. 11 Pois bem podes saber que não há mais de doze dias que subi a Jerusalém a adorar; 12 e não me acharam no templo falando com alguém, nem amotinando o povo nas sinagogas, nem na cidade. 13 Nem tampouco podem provar as coisas de que agora me acusam. 14 Mas confesso-te isto que, conforme aquele caminho que chamam seita, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na lei e nos profetas. 15 Tendo esperança em Deus, como estes mesmos também esperam, de que há de haver ressurreição de mortos, assim dos justos como dos injustos. 16 E por isso procuro sempre ter uma consciência sem ofensa, tanto para com Deus como para com os homens. 17 Ora, muitos anos depois, vim trazer à minha nação esmolas e ofertas. 18 Nisto me acharam já santificado no templo, não em ajuntamentos, nem com alvoroços, uns certos judeus da Ásia, 19 os quais convinha que estivessem presentes perante ti, e me acusassem, se alguma coisa contra mim tivessem. 20 Ou digam estes mesmos, se acharam em mim alguma iniqüidade, quando compareci perante o conselho, 21 a não ser estas palavras que, estando entre eles, clamei: Hoje sou julgado por vós acerca da ressurreição dos mortos. 22 Então Félix, havendo ouvido estas coisas, lhes pôs dilação, dizendo: Havendo-me informado melhor deste Caminho, quando o tribuno Lísias tiver descido, então tomarei inteiro conhecimento dos vossos negócios. 23 E mandou ao centurião que o guardasse em prisão, tratando-o com brandura, e que a ninguém dos seus proibisse servi-lo ou vir ter com ele.

Paulo não tentar agradar o governador com elogios lisonjeira no início de sua defesa, como o orador eloqüente encomendado pelo Conselho Superior tinha feito no início do seu discurso mordaz, mas com confiança enfatizou que Felix tinha sido um governador na Palestina para muitos anos, e conhecia as pessoas e seus sentimentos bem, principalmente porque sua esposa era judia. Este conhecimento ajudou Paulo defender-se pacificamente e com confiança, sabendo que ele não estava no tribunal para o seu próprio nome, mas para Jesus. Assim, ele alegremente fez o discurso em que sua vida dependia.

Quanto à primeira acusação, que o acusaram de ser um rebelde e perturbador da paz general romano, Paulo refutada por provando que ele tinha ficado apenas 12 dias em sua última visita a Jerusalém, durante o qual ele não discutiu com ninguém, nem no templo nem na sinagoga, seja na cidade ou em qualquer outro país ou lugar. Ele só tinha se preparado para a adoração, buscando orientação. Em resposta à acusação de provocar distúrbios em Éfeso, Paulo pediu que os judeus da província da Ásia ser trazidos como testemunhas. Eles não vieram voluntariamente, no entanto, para o problema que aconteceu lá não foi causado por Paulo, mas por Demétrio, o ourives, e provavelmente com o apoio e a instigação dos judeus. Assim, Paulo não tinha feito nenhum problema nas cidades da Anatólia e da Macedônia. Seus adversários, no entanto, recorreu à violência, uma vez que não conseguiu superar Paulo apenas por discussões sinagoga deles.

Quando Paulo rejeitou essas acusações de perturbar a grande paz Romana ele confessou publicamente que ele pertencia ao caminho de Cristo, que não era uma seita, mas o verdadeiro caminho de Deus, como registrado na Lei e os Profetas. Os romanos tinham permitido as religiões significativas do tempo anterior para realizar suas orações rituais, mas as religiões novas estavam sob controle, a proibição a perseguição, ou. Assim, Paulo estava muito preocupado para provar que o Novo Testamento não era uma religião separada desconectado do Antigo Testamento, mas a coroa real e cumprimento dela. É bom para nós reconhecermos este princípio em nossas experiências atuais, tendo em mente que Paulo atribuiu a maior importância para a verdade da ressurreição dos mortos. Ele não viveu para as tradições e os restos do passado, para as coisas que estão por trás, mas acima de tudo, chegou a frente, em direção às coisas que estão à frente, em direção ao objetivo de toda a humanidade.

Esta fé, ampla vital e emocionante despertou sua consciência. Além disso, depois que o sangue de Cristo havia purificado o seu coração e o Espírito Santo lhe tinha dado um coração novo, este homem de Deus treinados sua consciência cheia do Espírito Santo para permanecer sem ofensa na sua comunhão com Deus. Assim que sobre a sua consciência? São todos os seus pecados perdoados? Será que você confessa todos os seus maus pensamentos, palavras e obras más impuros diante do trono de Cristo, pedindo perdão e purificação, santificação e confirmação experimentar? Sua consciência lhe ensina como sentir a essência de Deus. Avisá-lo de cometer pecados e se torna uma testemunha contra vossas obras más, gravá-las para sempre e trazer acusação contra você. Ouvir a voz de sua consciência, e não suprimi-lo com superficialidade, distração e conversa vazia. Cristo pretende purificar seu subconsciente e enchê-lo com a sua verdade, pureza e graça. Quanto mais perto você chega a Deus mais a sua consciência torna-se mais exigentes e sensíveis, guiando-o para o bem, Deus deseja sábio trabalho. O Espírito Santo conforta o seu coração e orienta-o para a cruz, a fonte da nossa justiça e paz.

Paulo não viver de acordo com seus próprios sentimentos psicológicos, olhando para si mesmo, mas fez o que o Espírito Santo lhe disse para fazer, e olhou para os irmãos necessitados. Ele reuniu generosas contribuições para o alívio dos pobres em Jerusalém. Paulo não veio a Jerusalém para roubar e roubar, mas para dar e doar o dinheiro. Ele não era um criador de discórdia, mas um homem de paz.

Felix, o governador, logo notou que Paulo estava. Ele também sabia da seita cristã, por Cornélio, moradia oficial romano em Cesaréia, teve nos últimos dias se tornar um crente em Cristo. Escusado será dizer que o departamento de inteligência romana estava ciente de que todos os judeus esperavam um Cristo do céu para livrá-los do jugo do colonialismo. Paulo não fez, no entanto, desfrutar da asa, política marciais dos judeus. Ele era um homem servindo, humilde, vivendo para o seu ideal, Jesus, que preferiu morrer na cruz, em vez de ser defendido por seus discípulos com espadas. Tal homem, e como um Cristo morto e crucificado, não tinha medo dos romanos.

Ao mesmo tempo, Félix não quis ter um problema com o conselho dos judeus nem com os chefes dos sacerdotes. Então, ele chegou a um compromisso confortável, ele não condenou Paulo à morte, mas permitiu-lhe descanso, visitas e comunhão com os crentes de Cesaréia. Ao mesmo tempo, ele preservou alguma cooperação legítima com os chefes dos sacerdotes, sustentando que, no que diz respeito à poluição do templo, ele queria investigar o comandant em Jerusalém e perguntar sobre o motivo de sua intervenção violenta. Como tal, o governador tentou servir a dois senhores e, ao fazê-lo, fez injustiça para Paulo, que resultou em sua prisão por mais de dois anos. Este longo tempo de prisão foi preenchida com orações e meditações. É provável que durante este período ele escreveu suas epístolas aos Efésios e Colossenses, em que as riquezas de Cristo fluiu para fora da plenitude da sua visão como uma cachoeira de graça. Paulo não se tornar pessimista na prisão, mas seu espírito estava vivo, cuidadoso, e ativos.

ORAÇÃO: Ó Senhor, que sofreu injustiça com pacientemente, ensina-nos a não ficar com raiva se as pessoas nos ferirem e se esquecerem de nós. Encha-nos com o seu Espírito Santo para que possamos ampliar Você e Te amo, e aprender e praticar súplica para os outros.

PERGUNTA:

  1. Como e por que Paulo provar que a religião cristã não é separado do Antigo Testamento?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 12:13 PM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)