Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 095 (Riot of the Silversmiths in Ephesus)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 2 - Registros sobre a pregação entro os Gentios e a fundação das igrejas de Antioquia a Roma – Através do ministério do Apóstolo Paulo, comissionado pelo Espírito Santo (Atos 13 - 28)
D - A terceira viagem missionária (Atos 18:23 - 21:14)

4. O motim dos ourives de Éfeso (Atos 19:23-41)


ATOS 19:23-34
23 E, naquele mesmo tempo, houve um não pequeno alvoroço acerca do Caminho. 24 Porque um certo ourives da prata, por nome Demétrio, que fazia de prata nichos de Diana, dava não pouco lucro aos artífices, 25 aos quais, havendo-os ajuntado com os oficiais de obras semelhantes, disse: Senhores, vós bem sabeis que deste ofício temos a nossa prosperidade; 26 e bem vedes e ouvis que não só em Éfeso, mas até quase em toda a Ásia, este Paulo tem convencido e afastado uma grande multidão, dizendo que não são deuses os que se fazem com as mãos. 27 E não somente há o perigo de que a nossa profissão caia em descrédito, mas também de que o próprio templo da grande deusa Diana seja estimado em nada, vindo a ser destruída a majestade daquela que toda a Ásia e o mundo veneram. 28 E, ouvindo-o, encheram-se de ira, e clamaram, dizendo: Grande é a Diana dos efésios. 29 E encheu-se de confusão toda a cidade e, unânimes, correram ao teatro, arrebatando a Gaio e a Aristarco, macedônios, companheiros de Paulo na viagem. 30 E, querendo Paulo apresentar-se ao povo, não lho permitiram os discípulos. 31 E também alguns dos principais da Ásia, que eram seus amigos, lhe rogaram que não se apresentasse no teatro. 32 Uns, pois, clamavam de uma maneira, outros de outra, porque o ajuntamento era confuso; e os mais deles não sabiam por que causa se tinham ajuntado. 33 Então tiraram Alexandre dentre a multidão, impelindo-o os judeus para diante; e Alexandre, acenando com a mão, queria dar razão disto ao povo. 34 Mas quando conheceram que era judeu, todos unanimemente levantaram a voz, clamando por espaço de quase duas horas: Grande é a Diana dos efésios.

Paulo, cuja fé estava prestes a ser examinado, estava determinado a ir a Jerusalém. Em vez disso, ele teve que diminuir o ritmo e permanecer na Ásia. O Senhor iria dar-lhe uma lição difícil na luta contra os espíritos.

Houve o famoso templo de Artemis em Éfeso, a deusa também conhecida como Diana, que foi apoiado por 160 colunas de mármore e tinha 19 metros de comprimento. Esta estátua da deusa foi feita de madeira, preto forte. Durante os dois anos que ele permaneceu em Éfeso, Paulo ensinou aos efésios que todos os outros deuses são vaidades, e que os templos para honrá-los são vazias e inúteis. Portanto, aqueles que acreditavam em Cristo se absteve de participar nos ritos Artemis. Eles balançaram a cabeça em pena para aqueles que confiaram nestes ídolos de pedra e madeira dourada.

Este afastamento da crença em ídolos de pedra foi logo notado pelos vendedores de obras-primas e ícones. O ourives, também, que fazia de prata nichos em miniatura contendo semelhanças do grande templo de Artemis e vendeu-os aos peregrinos visitam, fez uma grande quantidade de aproveitá-las. Em nossos dias alguns destes prata, modelos portáteis da estátua de Artemis foram descobertos no vale do Nilo e na Índia. Alguns turistas comprou e levou-os de volta para seus países de origem, com a intenção de usá-los como amuletos contra o perigo. Mas desde que Paulo havia declarado que Cristo era o Senhor dos senhores a subsistência daqueles ourives começaram a desaparecer. Cada converter sabia que todos os encantos, amuletos, miçangas, e qualquer que seja, que foram pensados ​​para dar proteção ou preservação, foram, na verdade, nada além de ilusão, mentira e imaginação impotente.

Em seguida, Demétrio, um ourives certo, que também era um funcionário do templo, reunidos todos os artesãos seu companheiro e esclareceu-lhes o perigo que ameaçava seu comércio. Ele explicou que a fome estava esperando por eles, pois Paulo tinha desenhado as pessoas, tanto em sua cidade e por toda Ásia a partir de suas tradições e a fé de seus pais, dizendo que todos os ídolos e as imagens foram, mas vaidades.

Demétrio, o líder dos ourives, entendeu que, para Paulo, não só os modelos portáteis do templo foram vaidades, mas também todo o templo, fato que traria perigo toda a cidade, retire a sua liderança religiosa, e corrompe seus economia. Assim, ele considerou Paulo para ser o maior inimigo de Éfeso, a cidade capital.

Os fabricantes de artigos de prata ficou enfurecido na excitação, e começou a esgotar-se para demonstrar publicamente, exigindo apoio à sua doutrina. Eles gritaram: "Grande é a Diana dos efésios" Quando os manifestantes furiosos encontraram os dois macedônios que estavam viajando com Paulo, eles os agarraram. Mas eles não foram feridos, porque a mão do Senhor os protegeu no meio do tumulto. Paulo não era um covarde. Queria apoiar seus companheiros de trabalhadores, e moveu-se rapidamente para estar ao seu lado. Mas os discípulos, que estavam reunidos para a oração, o impediu, sabendo que não teria sentido falar ou testemunhar perante um bêbado multidão com arrogância e vencer com orgulho fluindo como um rio caudaloso. Em meio a esse ruído, clamor e fúria popular o indivíduo perde a preensão de sua identidade e suas verdades mais sagradas. A multidão se reuniram em um acordo, não para o bem, mas para a corrupção. Foi uma unidade mal, agindo de acordo com o espírito que habitava neles.

É provável que o Paulo foi corajoso, apesar da pressão de seus companheiros sobre ele, determinado a ir para o teatro. Há as pessoas foram usadas para reunir, de tristeza e alegria. Este teatro poderia prender 25 mil pessoas. De repente, os funcionários do templo enviou uma mensagem para Paulo, aconselhando-o que a sua presença no teatro, que foi até agora cheio de gente com raiva, não seria apenas inútil, mas também prejudicial. Eles insistiam que Paulo permanecer longe deles. As pessoas no teatro estavam gritando, enquanto Demétrio, que deu origem a esta agitação, desapareceu. A manifestação não tinha recebido a permissão das autoridades provinciais. Toda forma de agitação pública foi proibida pelos governadores romanos, de acordo com o regime da cidade. Demétrio estava com medo de punição, e o público ficou louco agitando sem um líder no teatro espaçoso.

Em seguida, os judeus, que odiava Paulo, começou a empurrar para frente um outro judeu, aquele que foi provavelmente um cristão, para que pudesse defender Paulo e da igreja. A multidão tomou jovem Alexander, e levantou-o para a plataforma no meio deles. Ele tentou falar para a igreja, mas a multidão logo reconheceu que o falante não foi o próprio Paulo, mas um outro judeu. Então, a multidão explodiu, vocalizando sua ira contra os judeus na pessoa de Alexander. Juntos suas gritou sua fé e crença para duas horas: "Grande é a Diana dos efésios!"

Hoje, ninguém sabe disso deusa Ártemis. Demétrio o ourives estava certo quando disse que a sua fama iria desaparecer por causa da difusão do Evangelho. Naquele tempo e lugar, no entanto, dezenas de milhares foram ainda preparadas para rasgar Alexander em pedaços por causa dela. A igreja, juntamente com Paulo, orou por este homem perturbado, e para seus dois companheiros de sofrimento. O Senhor esticou seu braço sobre sua testemunhas, de modo que as mãos da multidão maliciosos não poderia tocar em um único fio de cabelo de suas cabeças. Apenas o ar estava incomodado, que tinha crescido eletrificado pelos gritos de uma multidão enfurecida se comportar como um confronto besta com um espírito maligno.

ORAÇÃO: Senhor Jesus Cristo, nós Te agradecemos porque o exército do teu reino é mais forte que as hostes do diabo. Nenhum de seus filhos caiu no meio da multidão agitada em Éfeso. Ensina-nos a confiar em ti, que não possamos ter medo de qualquer homem ou espírito, porque Você adquiriu-nos para Deus com o Seu precioso sangue.

PERGUNTA:

  1. Por que Demétrio se irritou com Paulo?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 12:04 PM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)