Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 031 (Gamaliel’s Advice and the Whipping of the Apostles)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 1 - A fundação da Igreja de Jesus Cristo em Jerusalém, Judéia, Samaria e Síria – Sob o amparo do Apóstolo Pedro, guiado pelo Espírito Santo (Atos 1 - 12)
A - O Crescimento e Desenvolvimento da Igreja Primitiva em Jerusalém (Atos 1 - 7)

18. O aviso de Gamaliel e o chicoteamento dos apóstolos (Atos 5:34-42)


ATOS 5:34-42
34 Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, venerado por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos; 35 e disse-lhes: Homens israelitas, acautelai-vos a respeito do que haveis de fazer a estes homens, 36 porque antes destes dias levantou-se Teudas, dizendo ser alguém; a este se ajuntou o número de uns quatrocentos homens; o qual foi morto, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos e reduzidos a nada. 37 Depois deste levantou-se Judas, o galileu, nos dias do alistamento, e levou muito povo após si; mas também este pereceu, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos. 38 E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, 39 mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus. 40 E concordaram com ele. E, chamando os apóstolos, e tendo-os açoitado, mandaram que não falassem no nome de Jesus, e os deixaram ir. 41 Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus. 42 E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo.

Os Fariseus acreditavam na existência de anjos, na ressurreição dos mortos e na possibilidade de ver Deus em nosso mundo. Portanto, quando ouviram que os apóstolos haviam sido libertados da prisão fechada, eles ficaram com medo. Eles não podiam nem negar a possibilidade da ressurreição de Jesus, nem da sua interferência no conselho.

Gamaliel, o líder dos Fariseus e um erudito e doutor eminente da lei, se levantou. Mais tarde ele se tornaria o mentor religioso de Paulo. Este homem, que era muito respeitado por todas as pessoas, falou com moderação para o conselho agitado. Gamaliel não tinha certeza se a mão de Deus estava trabalhando com os apóstolos, ou se esses homens tivessem realmente sido enviados pelo Altíssimo. Este erudito tinha olhado fixamente para eles, e nem visto, nem desfaçatez belicosidade. Em vez disso, viu coragem, amor e retidão. Eles não parecem ser hereges ou maus. Em sua sabedoria e prudência, ele aconselhou os seus colegas do Conselho Superior de tomar o seu tempo e não falar uma sentença de morte. Ele não queria ter sangue inocente derramado, mais uma vez, deixando o concílio agir contra a vontade de Deus.

Gamaliel não acreditava em Jesus Cristo, nem que ele decidiu responder ao chamado dos apóstolos. No entanto, o Senhor vivo utilizou o humilde professor da lei nesta hora crítica para preservar os Seus apóstolos e mantê-los como testemunhas de sua ressurreição.

Como é estranho que este estudioso não usou a Lei como uma referência para apoiar seu argumento, mas sim, orientou a platéia através de verdades experimental. Líderes políticos e fundadores de heresias são conhecidos por explorar os seus seguidores. No entanto, se o poder em si não era de Deus, seus seguidores logo se dispersariam após a morte de seus líderes. Só Deus dá ao Seu reino o seu início, continuidade e fim. Além disso, Cristo é o autor e consumador da fé em Seus seguidores.

Hoje, podemos analisar as observações de Gamaliel sobre a pessoa de Jesus de forma analítica. O movimento de Cristo não desapareceu na obscuridade depois de sua morte, mas sobreviveu, tão mais vigorosamente e florescido do que nunca. Hoje ele cobre metade do mundo e mostra que não é dos homens, mas de Deus.

Não houve acordo unânime dos setenta membros do Conselho Superior. Um grande número deles sentiu remorso por ter concordado em um extermínio deliberado dos vinte homens de pé. Assim, eles concordaram em esperar e não deram um veredicto. No entanto, membros enfurecidos do conselho e do sumo sacerdote, desejavam vingança e punição severa, obrigando o conselho que cada um dos benfeitores corajosos e inocentes fosse batido com 39 golpes em suas costas nuas.

Os guardas levaram cada um dos discípulos acusados para fora. De acordo com a decisão injusta do Conselho Superior, os chicotes logo picaram suas costas nuas. Eles não se opuseram, mas escolheram alegremente sofrer vergonha. Eles suportaram seus sofrimentos com alegria invencível, pois eles não estavam sofrendo por causa de suas próprias ofensas, mas para o nome de Jesus Cristo. O Senhor tinha dito a eles: "Bem-aventurados sois vós, quando eles insultam e vos perseguem e dizem todo tipo de mal contra vós por minha causa. Alegrai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus" (Mt. 5:11-12).

Qual foi o resultado dessa audiência decisiva? A menção do nome de Jesus continuou a ser proibida. Ainda hoje, sua menção permanece indesejável entre os Judeus. Quem a pronuncia, no entanto, não é morto ou perseguido. A igreja tinha uma ruptura com a perseguição por algum tempo. Eles pregaram publicamente em nome de Jesus, apesar da proibição. No entanto, a espada de perigo permaneceu sobre suas cabeças.

Após as chicotadas, os apóstolos prosseguiram com alegria e coragem para o pátio do templo. Lá eles continuaram a sua atividade de dar testemunho daquele que tinha sido levantado triunfante dos mortos. Nos braços e nas costas levaram, para todos verem, as marcas dos açoites dados. O povo percebeu que os governantes de sua nação odiavam o nome de Jesus, tanto como eles fizeram antes, e que todo aquele que acredita n'Ele foi exposto a perseguição. Este perigo, porém, havia separado o joio do trigo, e fez os crentes firmes e serenos. O Senhor fez a graça abundar para eles todos os dias.

Os apóstolos continuaram visitando casas, ensinando os crentes, e confirmando-los nas Escrituras, Salmos e Profetas. Eles interpretaram a eles as palavras de Jesus, que eles próprios tinham ouvido falar dele e recolhidos. Ao mesmo tempo, os pastores olharam para sua ovelha perdida e pregou à multidão no templo. Eles ofereceram-lhes a salvação completa naquele que tinha sido crucificado. O conteúdo de sua mensagem foi cristalizado em dois breves declarações: Jesus é o Messias, Aquele que foi crucificado e ressuscitou dentre os mortos, e que esta rejeitou Nazareno é o Rei divino, que reina hoje no céu à direita de Deus. Os apóstolos não tinham medo, mas testemunhou livremente que Jesus Cristo é a única esperança para todos os homens.

ORAÇÃO: Ó vida Senhor, Tu foram espancados por causa de seu amor, e assim foram os seus apóstolos depois de você. Perdoe-me por minha covardia e da divisão do meu coração. Ensina-me a ser grato para seu amor. Nos levam a ensinar os crentes com prudência, e pregar para os tolos com sua sabedoria e poder.

PERGUNTA:

  1. O que o julgamento do Conselho Superior significa no que diz respeito à continuidade da igreja cristã?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 11:34 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)