Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 030 (The Apostles before the High Council)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 1 - A fundação da Igreja de Jesus Cristo em Jerusalém, Judéia, Samaria e Síria – Sob o amparo do Apóstolo Pedro, guiado pelo Espírito Santo (Atos 1 - 12)
A - O Crescimento e Desenvolvimento da Igreja Primitiva em Jerusalém (Atos 1 - 7)

17. Os apóstolos diante do alto concílio (Atos 5:26-33)


ATOS 5:26-33
26 Então foi o capitão com os servidores, e os trouxe, não com violência (porque temiam ser apedrejados pelo povo). 27 E, trazendo-os, os apresentaram ao conselho. E o sumo sacerdote os interrogou, 28 dizendo: Não vos admoestamos nós expressamente que não ensinásseis nesse nome? E eis que enchestes Jerusalém dessa vossa doutrina, e quereis lançar sobre nós o sangue desse homem. 29 Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens. 30 O Deus de nossos pais ressuscitou a Jesus, ao qual vós matastes, suspendendo-o no madeiro. 31 Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados. 32 E nós somos testemunhas acerca destas palavras, nós e também o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem. 33 E, ouvindo eles isto, se enfureciam, e deliberaram matá-los.

Deus ama seus inimigos e tem mais misericórdia do mal do que nossas mentes podem imaginar. Essa audiência se transformou em uma chamada ao arrependimento proferida por doze vozes apostólicas. Era uma chamada para todos os dirigentes dos Judeus para se voltarem ao seu Senhor. Não só foi a comissão de inquérito presente, mas também todo o conselho.

O chefe do templo suplicou aos embaixadores de Cristo, com toda a gentileza, a ir com ele para o conselho. Eles foram com ele e não como criminosos ligados, mas como respeitáveis homens livres. O chefe do templo não se atreveu a prendê-los, porque temeu que o povo pudesse se revoltar em apoio dos mensageiros de Deus e apedrejar os guardas. Os apóstolos seguiram a polícia do templo de bom grado.

Os setenta anciãos estavam reunidos na casa do sumo sacerdote. Este último estava impaciente e inquieto, o seu coração carregado de ódio e rancor. Ele ficou particularmente indignado que os desordeiros haviam trazido vergonha sobre ele antes de os representantes do povo, por meio de sua saída estranha da prisão. Assim, ele repreendeu duramente quando eles vieram antes dele, perguntando: "Por que você persiste em ensinar, em nome de Jesus, mesmo que ordenei que não pronunciassem o nome deste homem? Apesar dos nossos pedidos, de ter preenchido toda a cidade de Jerusalém com sua doutrina sem sentido. Seu intuito não era nada além de insultar-nos e nos ofender perante o povo, e fazer-nos parecer como juízes injustos, como se Jesus fosse justo e nós criminosos. Aquele jovem de Nazaré não era nada, mas um enganador e blasfemo. Ele morreu, seu corpo foi colocado na terra e tivemos descanso dele. Mas você escolheu zombar do alto concílio, nos insultam e nos tem ofendido com mentiras, superstições, e enganação”.

Após esta acusação, Pedro e outros apóstolos se levantaram juntos e falaram com toda a ousadia, guiados pelo Espírito Santo, dizendo: "Não seguimos fábulas concebidas por homens, nem temos más intenções, mas temos recebido a revelação de Deus e, portanto, obedecemos ao Senhor pelo nosso testemunho. É impossível para nós obedecê-lo, pois Deus é maior do que você é. Ele é nosso Senhor. Ai de nós se impedirmos a nossa língua de falar sobre suas verdades! Nossos lábios seriam arrasados se não conseguirmos falar. Falamos por conta da revelação direta de Deus para nós".

Pode ser que os anciãos, em seguida, perguntaram-lhes: "E qual é o conteúdo da revelação de Deus para você?". Um dos apóstolos teria assim respondido: "Não temos a revelação, exceto a verdade da ressurreição de Jesus dentre os mortos. Ele não apareceu para nós como um fantasma, mas Deus o tinha levantado na carne, pois Jesus havia estado com Deus por todo o tempo e a eternidade, e Deus com ele”.

Então um dos juízes gritou: "Então, você fala assim, como se fôssemos os inimigos de Deus". Pedro respondeu-lhe com ousadia e confiança: "Foi você e mais ninguém, que condenou Jesus, o Justo. Você compeliu Pilatos, o governante, a crucificá-Lo. Sim, você matou Cristo e são os inimigos de Deus. Jesus é santo, mas você pregaram-no na cruz amaldiçoada pelas mãos de homens impuros”.

Apesar do ranger de dentes entre os juízes, um dos apóstolos passou a dizer: "Deus, porém, não apenas ergueu-o dentre os mortos, mas também exaltou à Sua mão direita. Ele fez a cabeça da igreja, o Salvador do mundo inteiro. Jesus é o próprio Senhor, com as características de Deus nEle. Ele é o seu Messias esperado e Ele vive à direita de Deus, assim como ele já falou para você: "A partir de agora você verá o Filho do Homem sentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu".

Quando os membros do conselho, ouvindo isto, alguns deles estavam prontos para brigar. No entanto, eles controlavam-se, tremendo de raiva, enquanto esperam a parte restante de defesa dos apóstolos. Um deles perguntou: "O que mais resta para vocês do que chamar-nos a adorar o seu Senhor?". Um dos discípulos respondeu: “De fato, Jesus não vai rejeitá-los, mas Ele te chama ao arrependimento. Ele espera que a conversão de todo o povo de Israel, pois ele é o AMOR. Ele está preparado para perdoar seus pecados completamente. Venha a Ele, por Sua misericórdia é maior do que o seu ódio. Deus vai te perdoar se você realmente se arrepender”.

É possível que algum homem do meio da platéia, consternado, pediu aos pescadores: "Onde você conseguiu essa ousadia e atrevimento declarar os juízes culpados, enquanto, ao mesmo tempo, vocês ainda oferecem-lhes perdão? Quem são vocês e quem vocês acham que são? São vocês mesmos deuses?".

O Espírito Santo guiou os discípulos para não serem apanhados na armadilha do orgulho ou blasfêmia. Portanto, eles responderam: "Nós somos testemunhas da verdade da ressurreição de Jesus e Sua ascensão ao céu. O Espírito Santo habita em nós de forma eficaz, pois somos crentes em Cristo, que subiu ao alto. O Espírito Santo confirma-nos que o nosso conhecimento é verdadeiro, e que estamos vivendo em harmonia com Deus".

Um dos anciãos riu e disse: "O que vocês homens analfabetos entendem do Espírito Santo?". Ele recebeu imediatamente a resposta à sua pergunta sincera: "Deus dá o Seu Espírito apenas para quem obedece a Sua palavra, para Aquele que recebe a revelação de Cristo. Aquele que não acredita, irá perecer, porque ele desobedece ao Espírito Santo em seu testemunho. Todos os pecados serão perdoados aos homens, mas o pecado contra o Espírito Santo nunca será perdoado”.

Cada uma das declarações dos apóstolos foi como um tiro nos setenta anciãos, como uma flecha da verdade divina acertando seus corações. A maioria dos membros, cuja dignidade foi ferido, ficou furiosa sobre o seu insulto. Eles saltaram para destruir os que consideravam ser blasfemos, arruaceiros e fanfarrões arrogantes. A atmosfera ficou mais e mais escura. O inferno estava pronto para atacar os líderes da igreja Cristã para os consumir no apedrejamento.

ORAÇÃO: Senhor Jesus Cristo, você vive. Nós Te adoramos e te louvamos por causa do poder e coragem que você deu ao seus apóstolos. Nessa situação crítica não nos fez te negar, mas demos testemunho da tua verdade. Ajude-nos, também, na hora da tentação, para continuarmos fiéis a ti até a morte. Amém.

PERGUNTA:

  1. Quais os pontos da defesa dos apóstolos mais te agradou?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 11:33 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)