Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":

Home -- Portuguese -- Romans - 077 (Paul’s Expectations in his Journeys)

This page in: -- Afrikaans -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bengali -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Hebrew -- Hindi -- Indonesian -- Malayalam -- Polish -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Spanish? -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ROMANOS - O Senhor é a nossa Justiça
Estudos na Carta de Paulo aos Romanos

Suplemento à PARTE 3 – Registros especiais do caráter de Paulo aos líderes da Igreja em Roma (Romanos 15:14 – 16:27)

3. A expectativa de Paulo em suas Jornadas (Romanos 15:22-33)


ROMANOS 15:22-33
22 Por isso também muitas vezes tenho sido impedido de ir ter convosco. 23 Mas agora, que não tenho mais demora nestes sítios, e tendo já há muitos anos grande desejo de ir ter convosco, 24 quando partir para Espanha irei ter convosco; pois espero que de passagem vos verei, e que para lá seja encaminhado por vós, depois de ter gozado um pouco da vossa companhia. 25 Mas agora vou a Jerusalém para ministrar aos santos. 26 Porque pareceu bem à macedônia e à Acaia fazerem uma coleta para os pobres dentre os santos que estão em Jerusalém. 27 Isto lhes pareceu bem, como devedores que são para com eles. Porque, se os gentios foram participantes dos seus bens espirituais, devem também ministrar-lhes os temporais. 28 Assim que, concluído isto, e havendo-lhes consignado este fruto, de lá, passando por vós, irei à Espanha. 29 E bem sei que, indo ter convosco, chegarei com a plenitude da bênção do evangelho de Cristo. 30 E rogo-vos, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que combatais comigo nas vossas orações por mim a Deus; 31 para que seja livre dos rebeldes que estão na Judéia, e que esta minha administração, que em Jerusalém faço, seja bem aceita pelos santos; 32 a fim de que, pela vontade de Deus, chegue a vós com alegria, e possa recrear-me convosco. 33 E o Deus de paz seja com todos vós. Amém.

O homem pensa e Deus leva. Paulo mudou seus pensamentos sobre suas viagens em seu coração, mostrando seu desejo, e orando a este respeito. Ele tinha pregado para os países do leste e norte do Mediterrâneo, onde ele tinha estabelecido várias igrejas, apesar das perseguições violentas que ele havia enfrentado. Agora, ele queria pregar para o oeste do Estado romano, e no norte frio da Europa, a fim de submeter todo o mundo conhecido naquela época sob os pés do Filho de Deus.

Paulo confessou que tinha tentado várias vezes para visitar a igreja em Roma, para fortalecer a sua fé, amor e esperança, mas que os problemas e possibilidades na Ásia Menor e na Grécia havia frustrado suas esperanças e sua intenção de viajar.

Anos atrás, ele tinha aspirado para visitar Roma para se familiarizar com a igreja, que cresceu lá sem ele, e para fortalecê-la. Durante sua viagem à Espanha, ele quis parar por aí há algum tempo para visitar os diferentes membros da igreja lá. Ele esperava que a igreja em Roma deve apoiar a sua novos ministérios na Espanha, e acompanhá-lo com a oração, contribuição e serviço prático a fim de que sua pregação no futuro pode não ser o seu próprio privilégio, mas ser originado dos santos, em Roma. Paulo viu-se compelido a primeira viagem a Jerusalém para levar as contribuições das igrejas da Grécia para os pobres na igreja original, que vendeu suas propriedades por causa de sua fé na vinda de Cristo, e como resultado sofreu fome. Ele ensinou os crentes nas igrejas novas na Anatólia e na Grécia, como resultado dessa experiência dolorosa, a rezar com fé e fervor, e perseverar nele. Ele os ensinou a ser diligente em seus negócios, bem como, a fim de que sua espera de Cristo não pode ser uma razão para a retirada ou diminuição dos meios de sua subsistência. Paulo escreveu à igreja de Tessalônica que se um homem não iria funcionar, ele não deve comer (2 Tessalonicenses 3:10). No entanto, as más condições dos crentes na igreja de Jerusalém exigia a sua ajuda financeira, que era uma evidência de Paulo da fé dos cristãos dos gentios, que estavam preparados para o sacrifício prático.

O apóstolo disse que era necessário para as novas igrejas dos gentios para trabalhar em conjunto para ajudar os crentes de origem judaica, uma vez que tinha participado com eles nas riquezas espirituais dada aos crentes na igreja original de Jerusalém, que livremente distribuído para todos os dons espirituais e conhecimento revelado a eles. Portanto, Paulo escreveu que aqueles que nasceram de novo nas novas igrejas dos gentios são obrigados e moralmente obrigados a ajudar os pobres e os santos em Jerusalém, em suas necessidades humanas. A partir das palavras de Paulo, podemos concluir que a ajuda dos necessitados é um dever sagrado e obrigação, que se aplica em todos os lugares e em todos os momentos.

Quando ele tinha tomado a ajuda monetária para Jerusalém, Paulo queria viajar para a Espanha via Roma para trazer a plenitude da bênção espiritual de Cristo aos crentes lá. Sentiu-se em si mesmo, no entanto, que sua viagem a Jerusalém foi um problema sério, pois ele vivia lá nas igrejas locais, que realizou a Lei de Moisés, e queixoso viu como Cristo reuniu os crentes dentre os gentios. Os crentes de que os judeus estavam a ponto de rejeitar essas contribuições porque elas foram enviadas a partir de não-judeus. Além disso, os escribas e fariseus mostraram hostilidade aberta para Paulo, e decidiu matá-lo. Portanto, Paulo pediu aos crentes em Roma, para rezar incessantemente em nome de Cristo, para sua proteção, e para apoiá-lo em sua luta espiritual para a verdade, que o homem é justificado pela graça, e não pela lei. Ele chamou os judeus que estavam longe de descrentes Jesus que queriam condená-lo e matá-lo. Apesar de seu conhecimento dos problemas que o esperava em Jerusalém, ele prosseguiu para essa cidade mortal, tal como Jesus tinha antes dele. Foi lá que Jesus morreu por nós, e ressuscitou para nossa justificação; a fraqueza de Cristo tornando-se seu triunfo.

Paulo resumiu todos os seus planos e expectativas, dizendo que pela vontade de Deus ele poderia vir para os crentes em Roma com alegria. Ele fechou sua epístola orando ao Deus de paz seja com todos eles, mesmo que eles discordaram sobre os alimentos, a circuncisão, e outros assuntos secundários.

ORAÇÃO: Ó Pai celestial, tornou-se nosso privilégio pelo seu Filho Jesus para agradecer-lhe porque o apóstolo Paulo determinou a oferecer o Evangelho a todos os homens, e queria tirar os gentios para você, mas ele foi desenhado como um prisioneiro para Roma, com humilhação e desprezo. Nós agradecemos por suas epístolas, orações, fé e esperança. Ajude-nos a não dar a volta a nós mesmos, onde o nosso amor nos leva a você.

PERGUNTA:

  1. Por que Paulo, antes de sua viagem para a Espanha, deseja prosseguir para Jerusalém, apesar de seu conhecimento dos problemas e muitos perigos que o esperava lá?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on February 15, 2012, at 11:13 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)