Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 112 (Paul Transferred From Jerusalem to Caesarea)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 2 - Registros sobre a pregação entro os Gentios e a fundação das igrejas de Antioquia a Roma – Através do ministério do Apóstolo Paulo, comissionado pelo Espírito Santo (Atos 13 - 28)
E - Paulo preso em Jerusalém e na Cesaréia (Atos 21:15 - 26:32)

8. Paulo transferido de Jerusalém à Cesaréia (Atos 23:23-35)


ATOS 23:23-35
23 E, chamando dois centuriões, lhes disse: Aprontai para as três horas da noite duzentos soldados, e setenta de cavalaria, e duzentos arqueiros para irem até Cesaréia; 24 e aparelhai cavalgaduras, para que, pondo nelas a Paulo, o levem salvo ao presidente Félix. 25 E escreveu uma carta, que continha isto: 26 Cláudio Lísias, a Félix, potentíssimo presidente, saúde. 27 Esse homem foi preso pelos judeus; e, estando já a ponto de ser morto por eles, sobrevim eu com a soldadesca, e o livrei, informado de que era romano. 28 E, querendo saber a causa por que o acusavam, o levei ao seu conselho. 29 E achei que o acusavam de algumas questões da sua lei; mas que nenhum crime havia nele digno de morte ou de prisão. 30 E, sendo-me notificado que os judeus haviam de armar ciladas a esse homem, logo to enviei, mandando também aos acusadores que perante ti digam o que tiverem contra ele. Passa bem. 31 Tomando, pois, os soldados a Paulo, como lhe fora mandado, o trouxeram de noite a Antipátride. 32 E no dia seguinte, deixando aos de cavalo irem com ele, tornaram à fortaleza. 33 Os quais, logo que chegaram a Cesaréia, e entregaram a carta ao presidente, lhe apresentaram Paulo. 34 E o presidente, lida a carta, perguntou de que província era; e, sabendo que era da Cilícia, 35 disse: Ouvir-te-ei, quando também aqui vierem os teus acusadores. E mandou que o guardassem no pretório de Herodes.

Desde queda de Paulo do cavalo perto de Damasco, durante seu encontro com o Senhor, lemos mais de seu montando um cavalo até que este evento presente. Agora, ele montou um cavalo à força no meio da noite, cercado por setenta cavaleiros e duzentos soldados de infantaria, protegendo-o de frente e de trás. Esta cena mostra a guerra, ataque, e perigos. O povo na Palestina eram tão descontente com o domínio romano que os romanos esperavam um tumulto popular para sair antes do tempo. Tal revolução de fato ocorreu em 69-70 AD, resultando em um demorado e arrancando do povo judeu, que posteriormente tornou-se dispersos, sem casa, vagando pelo mundo ao longo de dois mil anos.

Paulo chegou a Cesaréia depois de dois dias, sob a proteção dos setenta cavaleiros, que entregaram para o governador, juntamente com a carta do comandante, que explicou que ele, o prisioneiro, era um cidadão romano. Esta declaração tornou a situação de cabeça para baixo, para os judeus tinham tentado matar um cidadão romano, e, conseqüentemente, justifica a interferência do comandante, que tinha enviado um número tão grande de soldados para manter o prisioneiro.

Em sua carta, o comandante também afirmou que Paulo não era um criminoso em tudo, e que ele não tinha feito nada para agir contra a lei. Ele não encontrou nenhum motivo para prendê-lo ou condená-lo à morte, uma vez que a acusação contra ele tinha a ver com questões relacionadas com a lei religiosa judaica, as questões originárias das diferenças de entendimento sobre a lei e os profetas. Tais problemas muitas vezes criam ódio e rancor no fundo do coração. Como resultado, o comandante soube da conspiração inventada por quarenta homens conspirar para matar Paulo. Ele tinha, portanto, enviados tanto os autores e o réu às pressas para o governador para ele tratar do assunto em Cesaréia, uma cidade romana distinguido pela sua organização e boa ordem, e longe de Jerusalém, o centro da cultura judaica, cheio de sentimentos religiosos e agitação.

Ao Felix, o governador, ouviu que Paulo era de Tarso da Cilícia que decidiu tratar o assunto imediatamente, pois ninguém vindo do distante Tarso saberia mistérios de leis e costumes judaicos. Ele preso Paulo no palácio majestoso do Rei Herodes, onde o próprio governador residia. É provável que eles colocaram Paulo primeiro para o cofre do palácio sob forte vigilância, ou no pátio, de modo que os quarenta rebeldes Jerusalém não poderia ser capaz de esgueirar-se para o apóstolo respeitável.

Tal foi a realização do pedido Paulo havia escrito para os romanos, pedindo-lhes para se esforçar junto com ele nas orações a Deus para ele, para que pudesse ser entregue na Judéia daqueles que não acreditavam, e que seu serviço de Jerusalém pode ser aceitável para os santos, para que pudesse chegar a eles com alegria pela vontade de Deus, e pode ser atualizada junto com eles (Romanos 15:30-32). Mas essas orações veio com algo diferente do que era esperado pelo apóstolo, ele foi até a distante Roma em cadeias, e não livremente, como um embaixador de Cristo.

O que Paulo pensa durante sua prisão? Apenas 14 dias antes, ele havia chegado em Cesaréia e passou a noite com Felipe, o pregador, até Ágabo, o profeta, veio até ele e predito pela visão do Espírito Santo que ele estava prestes a encontrar-se com cadeias e tribulações. Mas o Senhor o visitou durante a noite, depois de ter dado o seu testemunho para o Vivo no meio das multidões ressentido nos degraus do templo. O Senhor disse-lhe que ele também tinha de testemunhar o seu nome em Roma, o centro do mundo naquela época. Assim, vemos no curso da vida de Paulo que ele não era o planejador, e o ímpeto nele não era seus próprios pensamentos e desejos, mas Cristo, que havia planejado, dirigido, e trabalhou através de seu servo obediente de acordo com sua própria vontade , e não segundo a vontade de Paulo. Que foi provavelmente o período mais difícil na vida de Paulo, o motivador ativa dos povos. Sua esquerda por trás igrejas precisava de sua ajuda e conselhos, mesmo quando ele foi forçado a ficar muitos dias na prisão sem movimento e sem atividade.

ORAÇÃO: Nós te agradecemos, Senhor poderoso, porque você não orienta seus trabalhadores de acordo com seus próprios planos, mas segundo a Sua vontade e seus compromissos. Você os protege para o testemunho eficaz e você responde suas orações com grande poder. Perdoa-nos nossos próprios caminhos e ensina-nos a obedecer a orientação do Espírito Santo em todos os momentos. Amém.

PERGUNTA:

  1. Como e por que Paulo foi transferido para Cesaréia?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 12:12 PM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)