Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 072 (Apostolic Council at Jerusalem)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 2 - Registros sobre a pregação entro os Gentios e a fundação das igrejas de Antioquia a Roma – Através do ministério do Apóstolo Paulo, comissionado pelo Espírito Santo (Atos 13 - 28)

B – O Concílio Apostólico em Jerusalém (Atos 15:1-35)


ATOS 15:1-5
1 Então alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se não vos circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. 2 Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo e Barnabé, e alguns dentre eles, subissem a Jerusalém, aos apóstolos e aos anciãos, sobre aquela questão. 3 E eles, sendo acompanhados pela igreja, passavam pela Fenícia e por Samaria, contando a conversão dos gentios; e davam grande alegria a todos os irmãos. 4 E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. 5 Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés.

Às vezes o diabo aparece como um ser divino, ensinando os homens a manter a lei, como se pudessem adquirir uma santidade especial fora de Cristo. É como se a justificação pela graça e Seu sangue, como o fundamento da nossa vida com Deus, não fossem suficientes. Alguns convertidos fariseus desceram de Jerusalém a Antioquia e ali perturbaram a paz e a harmonia da igreja de Antioquia. Eles pediram para ser dado o direito de ensinar nas reuniões para que eles pudessem levar os crentes a uma plenitude maior de salvação. Eles afirmaram que o sangue de Cristo não era suficiente para redimir os crentes, que também precisavam ser circuncidados segundo a Lei de Moisés. Deus, como um símbolo de sua aliança, havia ordenado isso. Eles afirmaram que toda a lei foi dada por inspiração de Deus e que aquele que não guarda a lei será condenado.

Paulo e Barnabé estavam cheios de santa indignação. Ambos os apóstolos enfatizaram, com toda a franqueza, que a habitação do Espírito Santo nos crentes, de acordo com as suas experiências nas cidades da Ásia Menor, não dependem de os novos crentes conhecerem a lei. A salvação é concedida pela graça e não como um resultado do guardar a lei. O fariseu, convertido em Jerusalém, no entanto, exigia a submissão incondicional à revelação do Antigo Testamento. Paulo, no entanto, deixou claro que Deus havia declarado uma lei nova em Cristo. Ele havia cumprido por nós a lei antiga e admitiu-nos para a era da graça.

Como resultado deste conflito, uma violenta batalha espiritual eclodiu na igreja. Novos crentes foram perturbados, ambas as partes haviam baseado sua pretensão de verdade sobre a lei. Conseqüentemente, como tem acontecido desde que em vários momentos na história da igreja, os membros da igreja pediram que um conselho fosse montado, cuja finalidade era discernir a vontade de Deus através dos apóstolos, anciãos e dos maduros na fé.

Assim, Paulo e Barnabé, em nome da Igreja de Antioquia, viajaram ao Líbano por mar, e não visitaram os irmãos nas cidades costeiras. Nesta ocasião, lemos pela primeira vez, que as igrejas Cristãs foram fundadas no Líbano, e que muitas pessoas haviam entrado para a vida eterna. Esses irmãos muito se alegraram quando eles ouviram que Deus os havia chamado em aliança com Ele, sem o rito da circuncisão ou das obras da lei. Esses crentes sentiram grande alegria, para os fenícios eram homens que tinham viajado e descobriu muito. Eles sabiam que a religião judaica, com todas as suas decisões judiciais, não poderia converter o mundo. Eles imediatamente adquiriram uma compreensão ampliada da graça e de Jesus para a liberdade no Espírito Santo, a liberdade que tinha brilhado a uma nova geração.

Na região de Samaria os viajantes também testemunharam das maravilhas da obra de Deus. As notícias sobre as recentes experiências espirituais encorajou os crentes, e os guiou a oferecer-se com determinação para espalhar a salvação de Cristo ao mundo inteiro.

Quando os dois apóstolos chegaram a Jerusalém os crentes, juntamente com o resto dos apóstolos e dos anciãos, correram para recebê-los. Todos eles sentiram a importância deste encontro, pois os recém-chegados foram a primeira delegação a vir de fora da Palestina. Eles pediram esclarecimentos sobre questões da fé. Saulo, o especialista em legal, humilhou-se. Em nome da igreja em Antioquia, ele pediu pela confirmação do seu ensinamento sobre a graça. Desta vez, toda a igreja de Jerusalém viu o ex-inimigo a quem Deus escolheu como apóstolo para a salvação das nações.

As sessões não começaram com uma análise dos princípios doutrinários. Em vez disso, os ouvintes ouviram pela primeira vez um relatório das experiências de Barnabé e Paulo, e como Cristo fundou muitas igrejas na Síria e na Ásia Menor através do seu ministério. O triunfo do Senhor entrou na mente de todos os ouvintes, e nenhum deles podia negar o milagre do derramamento do Espírito Santo sobre os gentios. O testemunho do respeitado e prudente Barnabé, em particular, impressionou o público em Jerusalém, pois ele já era conhecido e enviado por eles.

Quando a delegação de Antioquia terminou suas sugestões, alguns dos crentes que no passado foram fariseus se levantaram. Apesar de sua crença em Cristo, eles não abandonaram o senso de autoconfiança. Eles exigiram que os crentes gentios não apenas fossem circuncidados, mas também praticassem toda a lei. Por essa demanda colocaram as obras de Jesus, o Filho de Deus, no mesmo nível que as obras de Moisés, o profeta de Deus. Ao fazê-lo, eles mostraram sua completa incompreensão da Nova Aliança com a sua liberdade da lei, cujo cumprimento foi manifesto no amor de Deus.

ORAÇÃO: Senhor Jesus, abra nossos olhos para que possamos vê-lo e reconhecer a grandeza de seu amor. Que nós não possamos acreditar em nós mesmos, ou nos apegar ao nosso fraco poder, mas dependamos de seu triunfo apenas. Ajude-nos a ler e a compreender a Bíblia Sagrada através da iluminação do Espírito Santo para nos tornarmos fiéis à sua Nova Aliança, que é revelada em seu Santo Evangelho.

PERGUNTA:

  1. Por que a igreja em Antioquia decidiu não resolver seu problema por si só, mas pediu aos apóstolos em Jerusalém que encontrassem uma solução definitiva para isso?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 11:54 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)