Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 007 (Matthias Chosen)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 1 - A fundação da Igreja de Jesus Cristo em Jerusalém, Judéia, Samaria e Síria – Sob o amparo do Apóstolo Pedro, guiado pelo Espírito Santo (Atos 1 - 12)
A - O Crescimento e Desenvolvimento da Igreja Primitiva em Jerusalém (Atos 1 - 7)

4. Matias escolhido em lugar de Judas, o pecador (Atos 1:15-26)


ATOS 1:15-20
15 E naqueles dias, levantando-se Pedro no meio dos discípulos (ora a multidão junta era de quase cento e vinte pessoas) disse: 16 Homens irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo predisse pela boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam a Jesus; 17 porque foi contado conosco e alcançou sorte neste ministério. 18 Ora, este adquiriu um campo com o galardão da iniqüidade; e, precipitando-se, rebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram. 19 E foi notório a todos os que habitam em Jerusalém; de maneira que na sua própria língua esse campo se chama Aceldama, isto é, Campo de Sangue. 20 Porque no livro dos Salmos está escrito: Fique deserta a sua habitação, E não haja quem nela habite, Tome outro o seu bispado.

A comunhão viva dos discípulos de Jesus foi abalada por alguns dias por dois acontecimentos terríveis. Os discípulos foram abalados pela morte de seu Mestre na cruz, que morreu para redimir todos os homens. Sua morte foi muito dolorosa para eles. Ao mesmo tempo, eles ficaram chocados com o suicídio desesperado de Judas após a traição de Cristo. O primeiro tinha toda a plenitude da Divindade residindo corporalmente em si, o segundo estava possuído pelo demônio, que havia entrado nele. Querido irmão, escolha seu caminho. Você quer sacrificar sua vida a serviço de muitos pecadores por causa do Espírito de Deus ou você quer morrer, pecador, sem esperança e com medo do julgamento da ira de Deus?

O pecado de Judas deixou uma vaga no círculo dos apóstolos. Os doze haviam sido ordenados pelo Senhor a pregar para às doze tribos de sua nação, a quem o Senhor julgará no último dia se não acreditarem. Assim, eles se reuniram para eleger um dos fiéis seguidores de Jesus, que tinham de ser uma testemunha ocular para tomar o lugar de Judas. Eles reuniram-se em cerca de cento e vinte dos fiéis, os homens que se conheciam. Eles oraram juntos e esperavam a promessa do Pai. Deve ter sido um encontro maravilhoso!

Pedro se levantou no meio deles para presidir a reunião. Todos o conheciam como negador de Cristo, a negação de que iria mostrar abertamente nos quatro evangelhos. No entanto, eles também sabiam que Jesus havia perdoado o discípulo, que havia mostrado um espírito contrito sobre todos os seus pecados. Cristo havia confirmado Pedro como líder após Sua ressurreição dentre os mortos. Essa foi uma prova notável da presença do Espírito de Verdade na Igreja primitiva. Eles não exageram a negação do maior deles, nem eles passam por cima de ânimo leve. Ao mesmo tempo, o espírito de amor se tornou mais e mais evidente em si. Eles aceitaram o fato de que Cristo confiou a Pedro uma comissão para apascentar o seu rebanho. Como é surpreendente, pois lá está ele, parado no meio da grande reunião, sem complexos! Ele poderia ter dito: "Tenho certeza de que Cristo me recebeu, um grande pecador, me limpou de todos os meus pecados e me deu uma missão, sendo falho como sou para servi-lo". Pedro não falava em nome próprio, nem tinha o desejo de promover a si mesmo. Tudo o que ele fez e que falou para foi para a glorificação de seu Senhor vivo.

Pedro não falava como quem tem supremacia sobre o resto, como um bispo ou um papa faria. Em vez disso, ele se levantou e falou como um ancião fala para outros anciãos. Ele chamou os homens de irmãos, pois Deus é seu Pai. Não há maior título no céu ou na terra do que este título original, "irmão", pois é um sinal de relacionamento na família de Deus.

Os discípulos, orando e meditando, certamente devem ter pensado sobre o fim de Judas, que se tornou um guia para os inimigos de Deus, tendo engenhosamente entregue Cristo, o Justo, nas mãos dos injustos. Os discípulos lembraram-se dos dias que passaram em companhia de Judas enquanto em comunhão com Jesus. Judas tornou-se um membro íntimo do reino de Deus. Ele recebeu de seu Senhor, um chamado, um ofício e uma autoridade. Ele havia servido a Deus, juntamente com os outros discípulos, por um período de tempo.

Este Judas, no entanto, amava o dinheiro, e de acordo com Lucas não recusou o suborno de iniqüidade. Ele queria garantir a segurança de sua alma perturbada e, portanto, comprou um campo aberto fora da cidade. Mas ele não teve descanso, depois de ter sentido em sua consciência os golpes do chicote de Deus. Ele ficou desesperado com as insinuações do diabo que estavam acusando. Por isso, ele correu para fora e se enforcou. A corda com que ele se enforcou se separou e seu corpo semi-enforcado caiu da árvore e uma pedra de pontas, que entrou no corpo e fez sua barriga se abrir. Todas as suas entranhas se derramaram. Lucas escreve como um médico e compreende como essa experiência deve ter sido terrível.

Todos os moradores de Jerusalém ouviram o presente relatório e sentiram a ira de Deus contra este traidor. Mantiveram-se longe deste campo, pois estava molhado com o sangue do maldito.

Cristo já havia conhecido o pecado de traição no maligno e avisou-o diversas vezes em seus sermões, mas os avisos foram em vão, porque Judas preferiu o poder do dinheiro para garantir a sua vida do que o poder de seu Senhor vivo. Portanto, ele perdeu tanto a parte celestial dele e do seu campo terrestre. Seu ofício, diante de Deus foi transferido a outro, e sua casa recém-comprada ficou desolada. Suas paredes foram demolidas e os morcegos tomaram o lugar.

Os discípulos estavam profundamente assustados, porque na Última Ceia não haviam estado muito seguros de si mesmos quando Cristo lhes revelou que um deles iria traí-lo. Cada um dos discípulos viu-se apto para isso. Além disso, em suas orações comuns perceberam que o Espírito de Deus tinha previsto o caminho do traidor. No entanto, o Santo não conduziu o traidor ao seu pecado, pois o Senhor dotou cada homem com o livre arbítrio e ninguém é obrigado a pecar. Judas endureceu o seu coração para o amor de Cristo e, conseqüentemente, morreu sob a maldição de Deus. Isto é o que o Espírito Santo havia predito mil anos antes por meio de Davi (Salmos 69: 26, 109: 8).

Querido irmão, não endureça o vosso coração contra a vontad do Espírito de Deus, mas concorde que o Santo deve livrá-lo do amor ao dinheiro e orientá-lo ao sacrifício e servi-lo. Não busque riquezas, bens, honra, dignidade e autoridade para si mesmo, mas procure a humildade, contentamento, humildade e simplicidade, pois é assim que o próprio Jesus viveu, junto com seus discípulos, pobres em dinheiro, mas ricos no Espírito de Deus.

ORAÇÃO: Ó Senhor, perdoe-me o meu amor ao dinheiro, o meu egoísmo e minha cobiça. Santifique-me para poder servir ao seu nome e confiar na sua providência. Deixe seu espírito encher a minha alma e a alma de todos os meus irmãos, para que possamos permanecer em Seu amor e nunca em qualquer maldição. Amém.

PERGUNTA:

  1. O que você aprendeu da morte de Judas?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 11:22 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)