Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 003 (The word before incarnation)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 1 – O Brilho da Luz Divina (João 1:1 – 4:54)
A – A Encarnação do Verbo de Deus em Jesus (João 1:1-18)

1. A essência e obra do Verbo antes da encarnação (João 1:1-5)


JOÃO 1:2-4
2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. 4 Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.

Cristo não viveu para si mesmo, mas sempre para Deus. Ele não se separou de seu pai, mas sempre foi guiado por ele, vivendo com ele, e permanecendo nele. Esta orientação de Cristo, "guiado pelo Pai" era de tal importância para o evangelista João, que ele repetiu esse tema no início do seu evangelho. Esta unidade permanente entre Cristo e seu Pai é o segredo da Santíssima Trindade. Nós não cremos em três deuses independentes, separados uns dos outros, mas acreditamos em um Deus só, cheio de amor. Agora, o Eterno não vive em reclusão e sozinho, mas seu filho está sempre com ele, e com ele vive em perfeita harmonia. Se alguém ainda não experimentou o amor de Deus através do derramamento do Espírito Santo em seu coração, ele não será capaz de perceber a verdadeira essência de Deus. O amor divino é o que une o Pai, Filho e Espírito Santo como um só Deus.

No princípio quando Deus criou o mundo, ele não o fez isso sozinho e em silêncio; ele trouxe tudo à existência através de sua Palavra. Visto que Cristo era o Verbo de Deus, o mundo veio à existência por meio dele. Isto significa que Cristo não é apenas o Salvador, intercessor e redentor, mas também o Criador. Uma vez que nada existe sem Cristo tê-lo feito, ele é todo-poderoso. Como nada acontece sem ele permitir, ele controla tudo. Que maravilho o coração grande o suficiente para entender e perceber quem é Cristo! Todas as modernas descobertas científicas e as partículas elementares e corpos estelares, não são nada além de humildes interpretações da glória de Cristo e do seu poder. Sua voz, seus músculos, sua forma física e seu ritmo cardíaco e tudo mais são todos dádivas, dons de Cristo para você. Então, quando você lhe agradecer?

Tudo foi criado, exceto Deus, sua Palavra e seu Espírito. Ele é em si mesmo, vivo, eterno e santo. Assim como Deus tem vida em si mesmo, da mesma forma Cristo é a fonte da verdadeira vida, o vivificador fiel, que nos ressuscita da morte da culpa e do pecado, e que nos confirma na vida eterna. Esta vida divina em Cristo venceu a morte. Ele deixou a sepultura através do poder da sua vida divina. Cristo não é apenas criador, mas ele em si mesmo é a fonte da vida. Na medida em que ele é santo, ele nunca vai morrer. Absolutamente nenhum pecado pode ser encontrado em Deus ou em seu Filho, por isso vive para sempre. Encontramos pensamentos sobre a vida de Cristo repetidamente nos capítulos do Evangelho de João.

A luz do sol dá vida ao nosso planeta Terra. Mas, Cristo é a real causa de vida do mundo: Sua vida é a razão para a iluminação; e o renascimento que experimentamos através de Cristo nos dá esperança. Nossa religião não é a religião da lei da morte e do juízo, mas a mensagem de vida e de luz e de esperança. A ressurreição de Cristo dentre os mortos eliminou todo o desespero. A habitação do Espírito Santo em nós nos faz participantes da vida de Deus.

O mundo é escuro por causa do pecado, mas Cristo é o amor em luz. Não há trevas, nem maldade e nenhum mal nele. Por esta razão, Cristo aparece cheia de glória. Ele brilha mais que a luz. No entanto, João, o evangelista, não começa por referir a glória reluzente de Cristo, ele sinaliza sua força e vida. O conhecimento da santidade de Cristo nos expõe, nos julga e nos destrói, mas a percepção de sua vida nos faz viver. Meditar sobre Cristo traz, verdadeiramente, conforto e alívio. Jesus é a luz da humanidade. Ele não brilha por si mesmo e ele não exalta o seu próprio nome. Ao contrário, ele brilha para o nosso bem. Não somos fontes de luz, mas fontes da escuridão. Todos os homens são maus, mas Cristo nos ilumina para que possamos percebê-lo e perceber a nossa situação de trevas. Através de seu Evangelho, ressuscitamos dentre os mortos e entramos na vida eterna. Cristo nos atrai e nos chama através da luz de sua vida para que deixemos nossa atual situação desesperadora. Nós nos aproximamos dele com determinação e confiança.

ORAÇÃO: Senhor Jesus, nos inclinamos para você porque você, o Pai e o Espírito Santo são um. Você criou o mundo em harmonia com o Pai. Você me concedeu a vida. Perdoe-me por todas as trevas em minha vida e me ilumine com seu Espírito Santo para que eu possa realmente viver e deixar a noite dos meus pecados; e assim me achegar à luz da sua vida eterna.

PERGUNTA:

  1. Quais são as seis características de Cristo que João apresenta no início de seu evangelho?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 10:20 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)