Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":

Home -- Portuguese -- Colossians -- 025 (Christ the Head and Reconciler of the Church)

This page in: -- Arabic -- Chinese -- English -- German -- PORTUGUESE -- Spanish -- Turkish

Previous Lesson -- Next Lesson

COLOSSENSES - Cristo em vós, o povo da glória!
Estudos na Carta de Paulo aos Colossenses

PARTE 1 – Os fundamentos da Fé Cristã (Colossenses 1:1-29)

6. Cristo é o Cabeça e Reconciliador da Igreja com Deus (Colossenses 1:18-23)


Colossenses 1:19-20
19 Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse, 20 e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.

A plenitude de Cristo e nossa reconciliação com Deus através da crucificação de Jesus

Paulo, nos anos de prisão pendentes de seu julgamento sob a força de ocupação romana, encontrou tempo para intercessão, para a oferta de agradecimento, e para a reflexão sobre a palavra de Deus. Ele reconheceu que estava em Cristo toda a sabedoria benevolente de todos os onipotência criativa, e que uma plenitude incomparável estava escondida nele. Esta plenitude, no entanto, não era apenas dele no reino da criação, mas em toda a área de adoração e veneração. Ele possuía a totalidade da graça divina e do poder da vida. O apóstolo presos para as nações só poderia falar de as insondáveis riquezas de Cristo (Ef 3:8). Paulo reconheceu que, no Crucificado e ressuscitado habitou toda a plenitude da divindade, junto com todos os seus atributos, títulos e forças. Esta plenitude permanece sempre plenitude, mesmo quando plenitude é desenhada a partir dele. O missionário para as nações não hesitou, no entanto, para pedir ao Pai do Messias que o amor de Cristo pode, em toda a sua plenitude divina, habitam nos seguidores de seu Filho (Ef 3:19). O idoso apóstolo João posteriormente reconhecido, com simplicidade original, a resposta desta oração apostólica, quando ele testemunhou: "Da sua plenitude todos nós recebemos, e graça sobre graça" (Mt 11:25-28; João 1: 16; 3:34-35; 16:15; 17:02, 10 etc)

O prazer de Deus sempre teve como objetivo a reconciliação da humanidade caída com Ele mesmo. Portanto, os anjos cantaram no nascimento de Cristo em Belém: "Glória a Deus nas alturas, e paz na terra, boa vontade para com os homens" (Lucas 2:14) Paulo escreveu aos Colossenses que Deus reconciliou o cosmos inteiro para -se através do Cristo Ele tinha enviado (Ef 1:9-10; Cl 1:20). Por assim dizer, ele estava falando do reino dos céus e da terra, não, porém, do reino do inferno e demônios. Por um longo tempo Satanás foi dado o direito de entrar no céu, a fim de acusar os homens e profetas diante de Deus (Jo 1:6-2:10). No entanto, após a ascensão de Jesus ao céu e sua entronização, ele foi expulso do reino do céu, tendo um terço das estrelas do céu (anjos) com ele, porque eles se tornaram infectados por suas mentiras (Ap 12: 3-4a). Portanto, o céu também está incluído na limpeza e reconciliação com Deus.

A conclusão da paz com Deus ocorreu exclusivamente por meio do sangue de Cristo na cruz do Gólgota. O último profeta da Antiga Aliança, João Batista, reconheceu com clareza singular do mistério de Cristo. Após Seu batismo no Jordão ele chamou aos seus discípulos: "Eis! O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!" (João 1:29). A este propósito, Paulo escreveu a igreja em Corinto: "Que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando os seus pecados a eles, e nos confiou a palavra da reconciliação. Portanto somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse pedindo por meio de nós: nós vos suplicamos em nome de Cristo, se reconciliar com Deus. Ele fez para Aquele que não conheceu pecado, pecado por nós, para que nos tornássemos justiça de Deus nele" (II Coríntios. 5:19-21). Da prisão de Paulo escreveu à igreja em Éfeso: "Nele temos a redenção pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo as riquezas da sua graça" (Ef 1:7-8). O apóstolo João declarou: "E ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também para todo o mundo" (I João 2:2). Ele já havia escrito: "Mas, se andarmos na luz como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, Seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (I João 1:7-9).

Precisamos entender e confessar que a crucificação de Jesus Cristo é o ponto central e torneamento de plano de salvação de Deus. O Novo Testamento muitas vezes testemunha dos mistérios de Seu sacrifício de expiação. Pois o Filho de Maria nasceu sem pecado e, através do poder do Espírito Santo, nunca pecou, ​​Ele se tornou o único homem autorizado a ser o nosso representante no julgamento de Deus e sofrer o nosso castigo. Ele tornou-se o cordeiro sacrificial para todos os pecadores. Paulo testificou aos Romanos: "Porque todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus" (Rm 3:23-24). Pedro testificou: "sabendo que você não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, a partir de sua conduta sem rumo por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha" (I Pe 1:18-19). Lemos na carta aos Hebreus: "Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados" (Hb 10:14). Feliz de quem confessa os seus pecados ao Seu Salvador e que recebe dEle o perdão completo para todos os seus pecados. Ele é capaz de dizer com Paulo: "Portanto, tendo sido justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo" (Rm 5:1).

Aqueles que sustentam que, no final, todas as pessoas em todos os lugares serão salvos, sofrer um mal-entendido infeliz. Eles confessam que o mundo inteiro tem sido reconciliado com Deus, e, na medida em que essa passagem vai, eles estão certos! No entanto, quando um pecador não acredita na morte expiatória de Jesus, e não estar vinculado ao corpo de Cristo através da unidade do Espírito Santo, a reconciliação com Deus completou ele aproveita nada! Há apenas um objetivo e fato firmemente enraizado da salvação, o que, no entanto, só é provocada por uma apropriação subjetiva da salvação! É verdade que Jesus morreu por toda a humanidade e que Ele realista reconciliou judeus, muçulmanos, hindus e comunistas para com Deus. Ele não precisa mais uma vez, morrer na cruz por um grupo especial de incrédulos. No entanto, quem não receber esta salvação felizmente concluído e que não oferecer adoração ao Cordeiro de Deus, endurece o seu próprio eu e distancia-se cada vez mais do seu Senhor e Salvador. Esta pessoa, com sua rejeição final e definitiva, confirma a Escritura: "Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado" (Mc 16:16). Jesus já havia revelado em algumas de suas palavras de despedida: "... Porque, se eu não for, o Consolador (Espírito Santo) não virá a vós, mas se eu for, eu vo-lo enviarei. E quando Ele veio, Ele convencerá o mundo do pecado, porque não acredito em mim" (João 16:7-9). Jesus, em Seu grande amor, pagou todos os pecados do mundo. Judicialmente falando, não permanece não peques mais dos pecadores! Somos livres. Aquele que não crê em Cristo como seu único Salvador e Redentor, no entanto, terá sua expiação do pecado cair sobre ele. Que é o pecado decisivo no mundo - o fato de que eles não acreditam no nome de Jesus Cristo ou no resgate Ele completou para eles com Deus.

Feliz de quem reconhece que o Senhor Jesus verdadeiramente redimiu e reconciliado com o Espírito Santo! Bem-aventurado é aquele que, graças a Salvador para que Ele tem feito, e que faz sua vida disponível para ele como um elogio oferta. A que pertence a disposição do pecador perdoado para perdoar os seus próprios inimigos e adversários por seus crimes e más intenções, para que sua queda próprio pecado para trás sobre ele (Mt 6:12, 14, 15). Fé em Jesus o Salvador não significa apenas um consentimento intelectual e aceitação de Sua salvação, muito mais, exige a integração na unidade amorosa da igreja com sua Cabeça espiritual. Crer em Jesus significa também: "Perdoa - assim como ele perdoa!"

ORAÇÃO: Senhor Jesus, nós Te adoramos e que o Pai através do Espírito Santo, pois em ti habita a plenitude da Divindade. Você deixou de lado Sua glória, a fim de se tornar um ser humano frágil, como nós, e para morrer em nosso lugar na cruz. O seu sangue nos purifica de todo pecado, para os quais agradecemos eternamente. Amém.

PERGUNTAS:

  1. O que significa que em Cristo habita toda a plenitude, e que Seu sangue nos purificou de todo pecado?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on February 16, 2012, at 07:53 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)