Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 069 (Founding of the Church at Lystra)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 2 - Registros sobre a pregação entro os Gentios e a fundação das igrejas de Antioquia a Roma – Através do ministério do Apóstolo Paulo, comissionado pelo Espírito Santo (Atos 13 - 28)
A - A Primeira Viagem Missionária (Atos 13:1 - 14:28)

5. A fundação da igreja em Listra (Atos 14:8-20)


ATOS 14:8-18
8 E estava assentado em Listra certo homem leso dos pés, coxo desde o ventre de sua mãe, o qual nunca tinha andado. 9 Este ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos, e vendo que tinha fé para ser curado, 10 disse em voz alta: Levanta-te direito sobre teus pés. E ele saltou e andou. 11 E as multidões, vendo o que Paulo fizera, levantaram a sua voz, dizendo em língua licaónica: Fizeram-se os deuses semelhantes aos homens, e desceram até nós. 12 E chamavam Júpiter a Barnabé, e Mercúrio a Paulo; porque este era o que falava. 13 E o sacerdote de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo para a entrada da porta touros e grinaldas, queria com a multidão sacrificar-lhes. 14 Ouvindo, porém, isto os apóstolos Barnabé e Paulo, rasgaram as suas vestes, e saltaram para o meio da multidão, clamando, 15 e dizendo: Senhores, por que fazeis essas coisas? Nós também somos homens como vós, sujeitos às mesmas paixões, e vos anunciamos que vos convertais dessas vaidades ao Deus vivo, que fez o céu, e a terra, o mar, e tudo quanto há neles; 16 o qual nos tempos passados deixou andar todas as nações em seus próprios caminhos. 17 E contudo, não se deixou a si mesmo sem testemunho, beneficiando-vos lá do céu, dando-vos chuvas e tempos frutíferos, enchendo de mantimento e de alegria os vossos corações. 18 E, dizendo isto, com dificuldade impediram que as multidões lhes sacrificassem.

Uma cura milagrosa aconteceu em Listra, uma cidade 30 a quilômetros ao sul-sudoeste de Icônico. Jesus curou um aleijado através das palavras de Paulo, o apóstolo. Alguns anos antes deste evento, Pedro também, curou em nome de Jesus Cristo um homem que era paralítico desde o ventre de sua mãe no portão do templo. Esta cura causou um grande encontro das pessoas no pátio do templo, onde Pedro, então, deu um sermão eficaz. Como resultado Pedro foi levado a julgamento perante o Conselho Superior dos Judeus.

O que aconteceu com Paulo em Listra foi idêntico. Enquanto pregava, Paulo observou um aleijado. Este pobre homem compreendeu a mensagem e cria no poder de Cristo. Quando seus olhos se reuniram com Paulo, o apóstolo percebeu a vontade de Deus. Ele olhou para ele e ordenou que ele ficasse de pé imediatamente e andasse. O poder de Cristo trabalhou através das palavras de Paulo, o apóstolo, sem a sua pronúncia do nome de Jesus e sem que o seu o aleijado fosse tomado pela mão, como Pedro fez. O doente havia ouvido o evangelho e creu na boa nova da salvação. Sua fé o salvou.

Listra era uma cidade idólatra, cujo povo não tinha nenhuma familiaridade com o Deus único e santo, diante do qual todos os homens são culpados. Esses idólatras acreditavam em muitos deuses e espíritos. Eles acreditavam na possibilidade de seus deuses se encarnarem e caminhar entre as pessoas.

Quando as multidões ouviram Barnabé e Paulo e viram como o homem doente foi curado, eles pensaram que os bons deuses estavam visitando a sua cidade. Eles deram o nome de Zeus a Barnabé, pois ele tinha as mesmas características que o pai de seus deuses, o deus principal do panteão Grego, em cujo espírito paternal habitou a bondade e prudência. Para Paulo deram o nome de Hermes, o mensageiro dos deuses, que se distinguiu pela atividade, ação dinâmica, fala e lutas. Como não havia um antigo templo de Zeus fora da cidade, o sacerdote de Zeus imediatamente entendeu o recado, achando que era hora de ele mover-se para fazer o seu dever. Ele correu excitado para trazer dois touros cevados adornados com flores, querendo oferecer sacrifício aos apóstolos. Ele chamou um grande número de pessoas da cidade para vir para um banquete de alegria, que seria realizada em honra aos deuses. Os banquetes em templos eram caracterizados por embriaguez, festanças e adultério. Ao fazê-lo, eles pensavam que estavam sendo gratos aos deuses pelas bênçãos, dando todas as suas energias ao prazer e à licenciosidade.

Paulo e Barnabé não compreenderam imediatamente os gritos da multidão em seu dialeto nativo. Eles estavam a alguma distância deles, a ser realizada em reverência e veneração. Quando os dois apóstolos entenderam o que o povo estava preste a fazer eles ficaram enojados e temerosos. Eles correram para o meio da multidão e rasgaram suas roupas, expressando sua raiva e seu zelo por Deus. Paulo subiu em uma pedra alta e gritou: "Parem com isso! Vocês estão errados! Nós não somos deuses, mas apenas seres humanos como vocês, feito de carne e sangue. Vocês têm enganado a si mesmos. Zeus e Hermes não vieram para vocês, estes deuses são vaidades. Eles são apenas fabricações inexistente. Todos os deuses que você adoram são futilidades, coisa inútil, impotente e sem vida.

Nós estamos aqui para pregar-vos o Deus único, santo e verdadeiro, que fez o céu e a terra e tudo o que neles há, tudo o que você vê e até vocês mesmos. Somos todos criação do bom Deus, que não obriga ninguém a realizar a Sua vontade, mas dá até aqueles que resistem a Ele que os desejos de seus próprios corações, para corromper-se por si mesmos. Apesar do egoísmo dos povos, Deus continua sua história com os homens. Ele ama não só o obediente, mas também os rebeldes e dá-lhes chuva, calor, sol, frio e colheitas no tempo certo. É só Deus que nos dá festa disposição e alegria, e não Hermes, Zeus, ou qualquer outro espírito tal, que são todas as vaidades. Como tal, os dois apóstolos falaram aos indivíduos e multidões, e com muito esforço os impediu de oferecer o sacrifício. O sacerdote estava com raiva e as multidões, pensando no prazer que sentiriam falta em conexão com os seus deuses, voltaram para suas casas com ressentimento, como se um raio tivesse caído sobre eles do céu. A cidade inteira falou sobre os dois apóstolos e suas pregações estranhas sobre o Deus único.

PERGUNTA:

  1. Por que Paulo disse que todos os deuses são vaidade?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 11:53 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)