Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Acts - 055 (Beginning of Preaching to the Gentiles)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Georgian -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Telugu -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 1 - A fundação da Igreja de Jesus Cristo em Jerusalém, Judéia, Samaria e Síria – Sob o amparo do Apóstolo Pedro, guiado pelo Espírito Santo (Atos 1 - 12)
B - A extensão do Evangelho da Salvação a Samaria e Síria, e o início das conversões dos Gentios (Atos 8 - 12)

9. O início da pregação aos Gentios através da conversão de Cornélio – o Centurião (Atos 10:1 - 11:18)


ATOS 10:34-43
34 E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; 35 mas que lhe é agradável aquele que, em qualquer nação, o teme e faz o que é justo. 36 A palavra que ele enviou aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo (este é o Senhor de todos); 37 esta palavra, vós bem sabeis, veio por toda a Judéia, começando pela Galiléia, depois do batismo que João pregou; 38 como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele. 39 E nós somos testemunhas de todas as coisas que fez, tanto na terra da Judéia como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-o num madeiro. 40 A este ressuscitou Deus ao terceiro dia, e fez que se manifestasse, 41 não a todo o povo, mas às testemunhas que Deus antes ordenara; a nós, que comemos e bebemos juntamente com ele, depois que ressuscitou dentre os mortos. 42 E nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos. 43 A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome.

Quando Cornélio insistiu que Pedro revelar o seu conhecimento de Deus, o apóstolo corajoso se tornou iluminado. Ele percebeu que a palavra de Deus não é dada somente aos judeus, mas para todos e de cada homem de direito. Todos os homens são dignos de ouvir sobre Deus e que Ele fez em Cristo. Esta realização para abrir a mente de Pedro e aos crentes que o acompanhava. Eles observaram que Cristo estava começando a quebrar a barreira entre eles e aos gentios. Eles perceberam que Deus desejou para receber pessoas de todas as nações, línguas, cores e culturas, aqueles que o buscam de coração sincero, e que procuram praticar boas obras.

Pedro então lhes declarou a totalidade de toda a fé cristã com mais pura simplicidade. Ele resumiu seu significado em um comunicado e em um nome: "Jesus Cristo é o Senhor de todos. Aquele que recebe este Mediador entre Deus e o homem obtém a paz de espírito e coração. Esta mensagem de reconciliação divina foi depositada nos filhos do Velho Testamento, que viveu entre cidades e aldeias judaicas da Samaria e da Galiléia. A notícia chegou a Cesaréia através de Filipe, o diácono que não só pregou para os judeus, mas em uma ocasião, até mesmo para um gentio etíope. Com a vinda de Pedro a esta cidade, Cristo foi cerimonialmente abrir o evangelho a todos os homens. A palavra dada a Abraão: "Em todas as famílias da terra serão benditas" estava vendo a sua realização no apóstolo.

Depois que o apóstolo disse aos seus ouvintes dos eventos mais importantes na vida de Jesus, de como Ele havia descido de uma cidade montanhosa da Galiléia para o quente Vale do Jordão para encontrar João Batista, com quem muitos daqueles que ansiava para Deus estavam reunidos. Lá estava ele de que Deus abriu o céu. Ele ungiu a Jesus com o Espírito Santo publicamente e capacitados para o serviço dele, para curar todas as doenças, expulsar demônios, e para pregar o evangelho. Jesus não tinha proclamado imaginário, nobres pensamentos filosóficos, sem realização prática. Em vez disso, Ele havia praticado o que Ele disse, cumprindo a vontade de Deus proclamada em Seu evangelho. Pedro e todos os outros apóstolos tinham sido testemunhas oculares da vida de Jesus. Eles tinham visto com seus próprios olhos como Ele viveu em plena harmonia com Deus, cujo trabalho era visível nele. A autoridade de Cristo foi fora de questão.

O que então aconteceu foi inacreditável para a mente humana. Homens mortos este Santo de Deus, suspendendo-o na árvore infame, um lugar feito para escravos fugitivos e assassinos imundos. Deus, porém, provou a inocência do amor de Seu Filho, declarando sua santidade quando Ele ressuscitou dentre os mortos. Seguintes que Jesus mostrou-se publicamente, vagando entre os vivos. Ele não se reuniu com todo o povo de Jerusalém, mas com aqueles que Deus tinha escolhido antes de ser testemunhas da ressurreição. Uma dessas testemunhas escolhidas foi Pedro. Jesus tinha vivido, comido e bebido com eles após a sua ressurreição para lhes provar que o corpo em que Ele foi criado era verdadeiro e real.

Durante os quarenta dias entre a ressurreição e a ascensão, Cristo ensinou-lhes os mistérios do reino de seu Pai celestial. Disse-lhes que Deus havia dado a Ele toda autoridade no céu e na terra. Assim, Jesus é o Juiz de todos os homens e Senhor sobre os vivos e os mortos. Cornélio e todos aqueles reunidos em sua casa eram seus, assim como somos hoje.

Não precisamos, no entanto, ter medo deste Todo-Poderoso, pois os profetas anunciaram que quem acredita em nome de Jesus Cristo recebe a remissão dos pecados e não entra em juízo. Ele que veio de Deus também saiu do Dia do Juízo e abriram a porta para o céu. Portanto, não temos que ter medo por causa dos nossos pecados ou a tremer na justa ira de Deus. O Filho de Deus nos lavou de nossos pecados em Seu próprio sangue e nos santificou completamente, trazendo-nos perto de Deus, nosso Pai celestial.

Aquele que acredita que estes fatos se justificam, e aquele que recebe o evangelho da salvação é santificado. Com estas palavras Pedro ofereceu a plenitude da graça de Jesus Cristo pela primeira vez aos gentios. Abriu-lhes o direito de expiação de Cristo. O apóstolo chamou a ouvintes em crença e uma vida de acordo com a vontade redentora de Deus.

Pedro não provar os mistérios da obra redentora de Cristo teologicamente. Ele não raciocinou logicamente usando palavras únicas ou raciocínios profundos. Em vez disso, ele depôs como testemunha ocular a essas verdades históricas. Salvação encontrou seu caminho para os seus ouvintes através de sua maneira de contar esses eventos, e não através de recriminá-lo por seus pecados ou tornando-os remorsos de lágrimas. Pedro guiou-os não para si mesmo, mas chamou seus olhos para Jesus. Fé em Jesus salva sozinho, e quem confia nele é santificado.

Nesta reunião nós encontramos uma confirmação histórica única de Jesus crucificado, para o centurião romano nunca teria aprovado o testemunho de Pedro sobre Jesus crucificado, a menos que tinha realmente acontecido. Esta verdade, no entanto, era conhecido, e Pedro havia explicado como o fundamento e a razão de nossa salvação.

ORAÇÃO: Senhor Jesus Cristo, Tu és o Senhor de todos os homens. Você comprou-os com Seu sangue precioso. Depois de sua ressurreição Você recebeu toda autoridade no céu e na terra. Ajude-nos a nos submeter completamente a Ti e a declarar a todos os homens, sem medo, que Tu és o único Senhor, para glória de Deus Pai.

PERGUNTA:

  1. Qual é o significado da afirmação: "Jesus Cristo é o Senhor de todos”?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 11:47 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)