Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":

Home -- Portuguese -- Colossians -- 032 (Who Comprehends the Fullness of Deity of Christ?)

This page in: -- Arabic -- Chinese -- English -- German -- PORTUGUESE -- Spanish -- Turkish

Previous Lesson -- Next Lesson

COLOSSENSES - Cristo em vós, o povo da glória!
Estudos na Carta de Paulo aos Colossenses

Parte 2 – O reconhecimento do mistério de Cristo nos protege de falsos ensinamentos (Colossenses 2:1-23)

10. Quem compreende plenamente a Divindade de Cristo? (Colossenses 2:8-10)


Colossenses 2:8-10
8 Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; 9 porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade; 10 e estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade.

Como resultado de seus próprios estudos e da perseguição que ele experimentou durante o ministério, Paulo sabia como representantes penetrante e bem versado de ensinos terrenos e sabedoria demoníaca poderia ser quando se tratava de influenciar aqueles que acreditavam de forma diferente. Portanto, ele intensificou escolaridade as igrejas em Colossos e Laodicéia. Ao fazê-lo, ele não em primeiro lugar ataque dos falsos mestres, que estavam causando os problemas igrejas. Ao contrário, ele repudiou, mais ou menos de forma secundária, todo o seu erro. Muito mais, ele expôs a posse maravilhosa e única das igrejas e aumentou-os em seus conhecimentos sobre a pessoa de Cristo, seu Senhor. Ele revelou-lhes seu próprio relacionamento especial para ele, bem como a sua posição espiritual em relação a todos os outros espíritos e poderes.

Em sua questão de forma fato, Paulo advertiu todos os seguidores de Cristo para não se permitem ser capturados por decepções vão e ensino em negrito, nenhum dos quais tinha o Deus vivo como seu foco central e objetivo. No final, todos esses permanecem engano refinada, mesmo quando eles são elogiados e propagados como a sabedoria fantástica ou sinalização para a descoberta. As tradições e costumes honrados dos povos são, no final, todos "no caminho errado" - aquele que não tem destino, contanto que eles não são fundamentadas na verdade revelações do Espírito Santo.

Há inspirações ilusórias, visões, religiões, visões de mundo e de regimes de vida que, no final, permanecem puramente anticristão. De longa data leis naturais, direitos humanos e princípios loja maçônica são, no evento que são propagadas sem colocar o Crucificado e ressuscitado em seu próprio centro, seja espiritualmente mortos ou sofrimento sob a "doença que leva à morte". Em sua frase introdutória, Paulo sacudiu todas essas sabedorias humanas como se não tivessem valor. Não havia nenhuma recompensa em falar sobre eles. Ele tinha muito mais a oferecer-lhes!

Em uma frase condensada, o missionário às nações revelou o mistério da pessoa de Cristo, e, com Ele, o mistério da Sua igreja. Ele confessou que, no Filho de Deus toda a plenitude da divindade habita corporalmente. O evangelista João, assim como o profeta Isaías, confirmou esta revelação:

Jesus estava espiritualmente gerado pelo Espírito Santo em Maria, para que a plenitude do Espírito de Deus que já habitou no recém-nascido, assim como está escrito: "Porque Deus não dá o Espírito por medida" (João 3:34-35).

Após Seu batismo vicário em nosso nome no Jordão, quando ele levou o pecado do mundo sobre Si, o Espírito Santo desceu na forma de uma pomba pousar sobre o sofrimento e "disposto a morrer" Cordeiro de Deus. A partir de então Ele testemunhou aos ouvintes: "O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu..." (Lucas 4:18).

Ninguém jamais poderia tomar sobre si o peso indizível da depravação e corrupção de toda a humanidade, exceto o próprio Deus. Por isso, Paulo, em si mesmo sobrecarregado, confessou: "Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo... Para Ele fez Aquele que não conheceu pecado, pecado por nós, para que nos tornássemos justiça de Deus nele" (2 Coríntios. 5:15.21). Nenhum mortal era ou é pecado. Portanto, Deus se fez homem, para que este único homem poderia viver sem pecado e ser autorizados e habilitados a morrer como uma oferta sacrificial impecável no lugar de todos os pecadores.

Deus sempre foi um, mas por causa da nossa justificação Ele se revelou como uma Trindade. Em Sua oração sacerdotal, Jesus testemunhou deste mistério para todos os que confiaram nele (João 17:21-23). Assim, Ele confirmou que o motivo pelo qual o Messias prometido já havia sido chamado de "Pai Eterno" na profecia de Natal do Antigo Testamento (Is 9:6). No nascimento de Jesus, o Deus Pai se fez homem. Na confissão de Paulo que testemunhou a unidade contínua da Santíssima Trindade. Deus é sempre um, como Jesus testemunhou: "Eu e o Pai somos um", e não dois! (João 10:30).

Na revelação espiritual de Paulo, lemos que toda a plenitude da divindade habita no corpo fraco de um único homem. Essa confissão vai muito além da nossa capacidade de imaginar e se assemelha a um conto incrível - como se o sol forte pode ser escondido na bateria de uma lanterna! Alguns dos judeus queriam apedrejar Paulo por causa de sua confissão. O apóstolo João disse a mesma coisa, usando outras palavras: "E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade... E da sua plenitude todos nós recebemos, e graça sobre graça "João 1:14,16). Jesus, em toda a sua autoridade para criar, curar, dar a lei, o controle, perdoar, conforto, renovar e juiz, é a Palavra de Deus se tornar homem. A plenitude incompreensível e grande habita na divindade, trabalhou, e continua a trabalhar em Jesus, nosso Senhor e Salvador, até hoje, assim como ele vai por toda a eternidade. Ele mesmo testemunhou: "Quem me vê a mim vê o Pai" (João 14:9), e "Você não acredita que eu estou no Pai, e o Pai está em mim? As palavras que eu falo com você eu não falo sobre minha própria autoridade, mas o Pai que habita em mim faz as obras. Crede-me que eu estou no Pai e o Pai está em mim, ou então crer em Mim por causa das mesmas obras" (João 14:10-11).

A crença na divindade de Jesus não é uma fé teórica. Três de Seus discípulos foram capazes de ver a Sua glória no Monte da Transfiguração (Mateus 17:1-9; II Pedro 1:16-18).

Paulo estava totalmente cego pela luminosidade de Cristo, quando Ele apareceu e falou com ele antes de os portões de Damasco. Após três dias de arrependimento, que foram necessárias para superar a compreensão do Antigo Testamento da justificação, (nomeadamente através do cumprimento da Lei de Moisés), o Paulo cego novamente recebeu sua visão através do envio do Espírito Santo através de Ananias (Atos 9:1-19). João, o discípulo a quem o Senhor amou, caiu no chão como morto, quando ele viu a glória de Jesus, que estava diante dele como um juiz, Reformador e Senhor (Ap 1:12-18). "Seu rosto era como o sol brilhando em sua força" (Ap 1:16). Quem tenta olhar cheio para o sol do meio-dia, ou olhá-lo por mais tempo, ficarão cegos. A glória de Jesus vai muito além de nossa capacidade de pensar ou perceber. Toda a plenitude da divindade habita nele corporalmente.

ORAÇÃO: Nós Te adoramos, Senhor Jesus Cristo, pois em Ti habita toda a plenitude do poder, e os atributos de Deus. Você quem vê, vê o Pai. Todo poder e autoridade no céu e na terra foi dado a você. Perdoa-nos quando não imediatamente posta de lado o medo e a ansiedade que os problemas nós. Está todo-poderoso. Seu nome, o grande nome de Jesus, expulsa todos os espíritos malignos. Amém.

PERGUNTA:

  1. O que significa a confissão de Paulo: Em Cristo toda a plenitude da divindade habita?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on February 16, 2012, at 07:54 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)