Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 047 (The sifting out of the disciples)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish? -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur? -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 2 – A Luz Resplandece nas Trevas (João 5:1 – 11:54)
B – Jesus é o Pão da Vida (João 6:1-71)

5. A separação dos discípulos (João 6:59-71)


JOÃO 6:66-67
66 Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. 67 Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos?

O milagre da alimentação dos cinco mil criou entusiasmo nas massas. No entanto, Jesus mostrou o engano por trás desse entusiasmo, o que afastou a muitos. Ele não quer zelo superficial, piedade ou mera crença para uma finalidade duvidosa. Ele deseja um segundo nascimento, de uma fé sincera rendida a ele sem reservas. Ao mesmo tempo, os espiões do Alto Concílio em Jerusalém infiltraram-se entre seus seguidores e ameaçaram os fiéis com a expulsão da Sinagoga se persistissem em seguir aquele que chamavam de mentiroso. Muitos em Cafarnaum haviam se afastado de modo que as massas do povo acabaram o abandonando. Até mesmo os fiéis temiam a autoridade do Concílio. Eles sentiram que a doutrina de Jesus era extrema e apenas uma pequena minoria de seguidores sinceros ficou com ele. O Senhor estava separando o trigo do joio.

Antes disso, Cristo escolheu doze apóstolos entre seus seguidores, refletindo as doze tribos de seu povo. Esse número é composto de 3 x 4, representa o céu e a terra, ou mais precisamente, a Santíssima Trindade e os quatro cantos da terra. Ao multiplicar três por quatro ficamos doze anos. Assim, no seu círculo de discípulos o céu e a terra estão interligados, assim como a Santíssima Trindade com os quatro cantos da terra.

Depois da partida de alguns discípulos, Jesus ainda testou os seus escolhidos para os confirmar e disse: "Vocês também querem me deixar?". Com esta pergunta, ele obrigou os seus discípulos a decidir o rumo de seu futuro. Desta forma, ele pergunta a você e a seus amigos em momentos de ansiedade e horas de perseguição: você deseja deixá-lo ou quer ficar com ele? O que é mais vital? Tradições, emoções, lógica ou segurança material ou o seu relacionamento com Jesus?

JOÃO 6:68-69
68 Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. 69 E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente.

Pedro demonstrou a validade da profecia de que Cristo era a rocha sólida. Falando em nome dos demais, ele respondeu: "Senhor, para quem havemos nós de ir? Só Tu és a fonte da vida eterna". Ele pode não ter entendido completamente as intenções de Jesus, mas sentia que no fundo, o homem Jesus de Nazaré era o Senhor do céu de quem procediam palavras criadoras o poder da vida, não palavras de um mero homem. Pedro acreditou que o Senhor estava presente. Ele participou da distribuição do pão. A mão de Jesus o segurou quando ele estava preste a afundar. O coração de Pedro estava unido a Jesus, ele amava o seu Senhor mais do que qualquer outra coisa e não iria abandoná-lo. Pedro escolheu a Jesus porque Jesus o havia escolhido primeiro.

O líder dos apóstolos concluiu seu depoimento com estas palavras: "Nós temos crido e bem sabemos". Repare, ele não disse, "nós sabíamos e acreditamos". Pois é a fé que abre a visão do coração. É a nossa fé que ilumina nossas mentes. Assim, Pedro e outros discípulos se renderam à atração do Espírito de Deus que os conduziu à fé em Jesus iluminando-os a conhecer a verdade. Eles cresceram para compreender sua glória oculta. Todo o conhecimento verdadeiro de Jesus é diretamente um dom da graça de Deus.

Qual era a natureza da fé dos discípulos em Jesus? Qual era o conteúdo da fé? Eles estavam ligados ao divino Messias em quem a plenitude do Espírito habitava. Ele une em sua pessoa todas as funções de rei, sacerdote e profeta. Reis, sacerdotes e profetas no Antigo Testamento eram ungidos pelo Espírito Santo. Em Cristo, todas as energias e as bênçãos do céu estão combinados. Ele é o Rei divino onipotente, e ao mesmo tempo é o Sumo Sacerdote que reconcilia a humanidade com seu Criador. Ele é capaz de ressuscitar os mortos e julgará o mundo. Pela fé, Pedro percebeu glória de Cristo. Os discípulos creram juntos e tiveram Pedro como o porta-voz que testemunhou dando um testemunho crucial: Que Jesus este é o Santo de Deus e não um homem comum, mas também verdadeiro Deus. Todas as qualidades de Deus estavam sobre ele, como Filho de Deus. Ele permaneceu sem pecado, e realizou sua tarefa como o Cordeiro de Deus, como João Batista havia profetizado. Os discípulos o amavam e o reverenciavam, pois sabiam que sua presença significava a presença de Deus. Eles viram o Pai através do Filho e entenderam que Deus é amor.

JOÃO 6:70-71
70 Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze? e um de vós é um diabo. 71 E isto dizia ele de Judas Iscariotes, filho de Simão; porque este o havia de entregar, sendo um dos doze.

Jesus acolheu este testemunho com alegria por ser a indicação de uma fé crescente. No entanto, ele percebeu que um deles estava se opondo a ele em diversas ocasiões. A dureza do coração desse homem era tão grande que Jesus o chamou de "Satã". Todos os apóstolos foram escolhidos, atraídos pelo Pai ao Filho, mas eles não eram robôs nas mãos de Deus. Eles estavam livres para obedecer à voz do Espírito ou ignorá-lo. Judas deliberadamente fechou sua mente à voz de Deus e se entregou a Satanás, criando uma ligação mental entre os dois. Judas não deixou Jesus como outros que desertaram haviam feito, mas ele permaneceu ali para acompanhar Jesus; um hipócrita fingindo acreditar. Ele se tornou o filho do "Pai da mentira" e continuou com sua traição. Enquanto que Pedro confessou a obra messiânica de Jesus, Judas arquitetou planos para trair Cristo entregando-o para os líderes Judeus. Incitado pelo ódio, ele secretamente desenvolveu seu plano traiçoeiro. O evangelista não concluiu este importante capítulo com obras marcantes sobre a autoridade dada aos apóstolos. Mas dá destaque ao fato de que, mesmo no círculo dos fiéis, havia um traidor. Jesus não o afastou nem revelou seu nome para os outros. Mas ele suportou pacientemente para que Judas se arrependesse do mal em seu coração.

Querido irmão, examine-se humildemente. Você é um filho de Deus ou um filho de Satanás? Você se abre para a atração do Espírito ou se entrega em pacto com Satanás? Cuidado para não perder o objetivo de sua vida. Seu Senhor te ama e te salvou. No entanto, se você rejeitar sua salvação, você mergulhará nos caminhos do mal e permanecerá sob a escravidão de Satanás. Retorne para Cristo, ele está esperando por você.

ORAÇÃO: Senhor Jesus Cristo, você é Filho de Deus, santo, misericordioso, poderoso e vitorioso. Perdoe meus pecados, e me estabeleça em sua aliança para que eu possa viver em santidade e continuar em sua presença, e ser transformado em sua imagem. Santifique seus seguidores, ajude-os a crescer em fé e em conhecimento para testemunhar a todos que só tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Amém.

PERGUNTA:

  1. Quais são as implicações do testemunho de Pedro?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 10:53 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)