Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 016 (The first six disciples)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur? -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 1 – O Brilho da Luz Divina (João 1:1 – 4:54)
B – Cristo conduz seus discípulos da esfera do arrependimento para a alegria do Casamento (João 1:19 – 2:12)

3. Os primeiros seis discípulos (João 1:35-51)


JOÃO 1:35-39
35 No dia seguinte João estava outra vez ali, e dois dos seus discípulos; 36 e, vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus. 37 E os dois discípulos ouviram-no dizer isto, e seguiram a Jesus. 38E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais? E eles disseram: Rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras? 39 Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia; e era já quase a hora décima.

Cristo é a Palavra de Deus encarnada, plena divindade, a própria vida em si e fonte de luz. É assim que o evangelista essencialmente o descreve. Ele também descreveu o ministério e obras de Jesus. Ele é o Criador e preservador de tudo. Ele nos dá um novo conhecimento de Deus de que ele é um Pai amoroso. Então ele repete, “eis aqui o Cordeiro de Deus”, para resumir todos os atributos inferidos a Jesus conforme seu mote. No verso 14, ele descreve a essência e fonte de Cristo, enquanto no verso 29 e 33 descreve o propósito da obra de Cristo.

Cristo se tornou homem para ser uma vítima oferecida a Deus, a Deus que deu Seu Filho para carregar nosso pecado e nos libertar da condenação. Deus desejou esse sacrifício. Nas palavras de Paulo, “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação”.

Não é fácil para nossa geração entender a expressão “Cordeiro de Deus”, já que não imolamos animais para pagar nossos pecados. Um expert do sistema sacrifical do Antigo Testamento compreende que não há perdão sem derramamento de sangue. Estranhamente, Deus não pune nosso pecado derramando nosso próprio sangue, mas ele dá Seu Filho para esse propósito. O Santo morreu por rebeldes como nós. O Filho de Deus pelos pecados dos culpados, para torná-los verdadeiros filhos do Pai celestial. Vamos adorar e magnífica-Lo junto ao Filho e ao Espírito Santo que nos redimem.

Os dois discípulos não perceberam imediatamente a profundeza do significado da frase “Cordeiro de Deus”. Mas, vendo como João Batista contemplou o Cordeiro de Deus, eles também quiseram conhecer o Jesus que seria o Senhor e Juiz do mundo ao mesmo tempo em que é o Sacrifício para a humanidade. Tais pensamentos ocuparam as mentes dos dois e eles ouviram atentamente. Jesus não tirou discípulos de João, mas o próprio João é quem os conduziu a Jesus. Os discípulos consentiram a essa nova submissão.

Jesus sentiu o desejo deles e conhecia seus propósitos. Eles viram em Jesus amor e graça, e ouviram as primeiras palavras de Jesus nesse evangelho, “Que buscais?”. O Senhor não jogou sobre eles doutrinas pesadas, mas deu-lhes a chance de falar o que estava em seus pensamentos. Então, o que você procura, irmão? Qual é o objetivo de sua vida? Você quer Jesus? Você seguirá o Cordeiro? Os dois discípulos pediram a Jesus que os permitissem acompanhá-lo à sua casa. As perguntas em seus corações eram mais nobres que a discussão na estrada onde o tumulto das multidões os distrairia. Então Jesus respondeu, “Venham e vejam”. Ele não disse, “Venham estudar comigo”, mas, “Abram os olhos e vocês verão que realmente Sou, minhas obras e meu poder, e compreenderão a nova imagem de Deus”. Aquele que se achega a Cristo recebe uma visão renovada do mundo, e vê Deus como Ele é. A visão de Jesus contraria nosso sistema intelectual. Ele se tornará o foco de nossos pensamentos e o alvo de nossas esperanças. Então venha e veja, tal como viram os dois e confessaram no caminho, “vemos Sua glória, como a do Unigênito do Pai, cheio de graça e verdade”.

Esses dois discípulos permaneceram com Jesus o dia todo. Como são adoráveis as horas de graça! O evangelista testemunhou que uma das horas daquele dia abençoado foi decisiva em sua vida. Essa era a terceira hora, ou nove da manhã para nós. Então João, o evangelista, percebeu a verdade de Jesus pela inspiração do Espírito, e seu Senhor aceitou sua fé e deu-lhe certeza que Jesus era o Messias prometido. A luz de Cristo tem brilhado na escuridão de sua alma? Você o segue em todo tempo?

ORAÇÃO:Te magnificamos e louvamos, Cordeiro Santo de Deus. Você tem tirado o pecado do mundo, nos reconciliando com Deus. Não nos rejeite, mas deixe-nos te seguir. Perdoe nossos erros; revele sua majestade para que possamos te servir com devoção.

PERGUNTA:

  1. Por que os dois discípulos seguiram Jesus?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 10:24 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)