Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Revelation -- 021 (Jesus Christ’s Message to the Church Leader in Philadelphia)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bulgarian -- English -- French? -- German -- Indonesian -- Polish? -- PORTUGUESE -- Russian -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

APOCALIPSE - Eis que cedo venho
Estudos no Livro do Apocalipse
LIVRO 1 - EIS QUE VENHO EM BREVE! (APOCALIPSE 1:1 - 3:22)
PARTE 1.2 A PRIMEIRA VISÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS SOBRE A TERRA: A APARIÇÃO DO FILHO DO HOMEM PARA SANTIFICAR SUAS IGREJAS (APOCALIPSE 1:9 - 3:22)
PARTE 1.2.2 AS CARTAS DE JESUS CRISTO ÀS SETE IGREJAS NA ÁSIA MENOR (APOCALIPSE 2:1 - 3:21)

6. A mensagem de Jesus Cristo ao líder da igreja em Filadélfia (Apocalipse 3:7-13)


Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo: "eis" surge duas vezes neste versículo. A sensação na Filadélfia foi que alguns dos judeus opostos seguiram a verdadeira fé e foram completamente convertidos. No entanto, Jesus havia testificado três vezes na primeira pessoa que não era o líder da igreja que teria convencido esses judeus, mas Ele mesmo. O próprio Jesus interveio em suas vidas e abriu seus olhos e mentes para que eles reconhecessem que Ele é o Cristo dos Judeus e, ao mesmo tempo, o Libertador da humanidade. Tornou-se evidente para os judeus que eles tinham sido injustos com o líder da igreja quando o amaldiçoaram, fabricaram mentiras contra ele, e o odiaram. Eles reconheceram do seu modo de vida e ouviram da sua boca que era este "pagão", afinal, que era o mensageiro de Cristo na Filadélfia. Eles caíram a seus pés e pediram-lhe perdão. Adoraram a Jesus em adoração, porque Ele também tinha dado a salvação aos pagãos. Eles podem ter pedido ao ministro para interceder a Jesus em seu favor, pois reconheceram que tinham blasfemado e atacado o próprio Rei.

Pela segunda vez nas sete cartas da igreja Jesus chama uma assembleia local a sinagoga de Satanás. Nem todos os judeus em Filadélfia seguiram a verdadeira fé e vieram a Jesus, mas poucos deles. A maioria continuou em sua recusa contra Cristo e endureceu seus corações contra o Evangelho, permitindo que o espírito de Satanás entrasse neles. Eles se apegaram à sua justiça através da Lei de Moisés, e recusaram a graça livre de Jesus Cristo.

Os cristãos na Filadélfia haviam testificado de seu respeito a Abraão, Moisés e Davi, e viveram em grande parte de acordo com os Dez Mandamentos. Os judeus, porém, como Maimônides mais tarde, abstraíram da Torá 613 julgamentos da Lei - 248 mandamentos e 365 proibições. Estes mandamentos deram a direção para sua vida, lei e caminho para o céu. Com todas as suas forças eles se apegaram ao Sábado, à sua circuncisão e à sua aliança. Aos seus olhos todas as nações eram imundas e ignorantes, pois não conheciam nem amavam o único Deus.

O líder da igreja, entretanto, testificou a eles da nova aliança através do batismo e da comunhão, e tentou explicar-lhes a habitação do Espírito Santo nos seguidores de Jesus. Ele confirmou a eles que nossa justiça é estabelecida apenas com base no sacrifício expiatório de Cristo, e não em nossas boas obras. Todos os cristãos são circuncidados no coração, não no corpo, e guardam o domingo como o dia da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos.

Eles dizem que são judeus e não são judeus: Jesus viu na Lei de Moisés o pedagogo que deveria levar os filhos de Abraão ao arrependimento, e à quebra do orgulho e da justiça própria em preparação para a Sua vinda. Ele esperava que eles O recebessem de braços abertos como seu Rei, Senhor e Cristo. Mas eles levantaram sua Lei como armadura contra ele, rejeitaram-no e quiseram expiar seus próprios pecados. Jesus deixou claro que todo israelita que não O conhece, O aceita ou O reconhece, não é um verdadeiro judeu. Ele permanece prisioneiro da cegueira espiritual, mesmo quando confessa o oposto da verdade.

Jesus e Paulo reconheceram que todo Judeu verdadeiro ama Jesus e testifica Dele, assim como os apóstolos e a igreja primitiva se uniram à antiga e à nova lei, à antiga e à nova aliança. Jesus é o Judeu perfeito. Aquele que crê Nele é justificado. Circuncisão no corpo, guardar o Sábado, e amarrar o braço com filactérios de oração não mudaria o coração. Somente o sangue de Cristo pode mudar, purificar e santificar o coração, mesmo de um Judeu.

Jesus testificou ao líder da igreja em Filadélfia que ele, em si mesmo, tinha apenas uma pequena força. No entanto, Jesus, que penetrou no território do diabo, iluminou alguns dos buscadores da verdade na sinagoga, e os motivou através do Seu Espírito a virem a Ele em fé, e a confessar abertamente que o líder da igreja era um dos amados do Messias.

A declaração de amor de Jesus é o segredo do cristão. O Filho do Homem tornou-se homem, para que houvesse um homem que vivesse em santidade e fosse digno de morrer em nosso lugar como o Cordeiro de Deus. A cruz de Cristo é o símbolo do amor de Deus a todos os homens. Todos nós somos amados pelo Pai, por causa dos seus Filhos. O Alcorão, que nega a cruz e o amor de Deus pelos cristãos (Suras al-Nisa' 4:157; al-Maeda 5:18) não pode mudar esta verdade. Deus ama cada homem "porque Deus amou tanto o mundo que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3:16).

Além desse amor de Deus que foi selado na cruz por todo pecador, Cristo testificou de Seu próprio amor pelo líder da igreja em Filadélfia. Ele o amou porque se apegou à Sua palavra e não negou o Seu nome, apesar dos ataques violentos. Embora ele nunca tivesse visto visivelmente seu Salvador, ele havia se levantado por Ele com todo o seu ser. Jesus amava este homem. Seu coração batia por ele. Ele tinha trazido alegria para Ele.

Nós devemos fazer a nós mesmos a pergunta: "Somos amigos de Deus? Agradamos a Jesus com o nosso serviço? Ou fazemos com que Ele sofra mais com o nosso modo de viver?

Você manteve meu comando para perseverar, por isso eu também vou mantê-lo fora da hora do julgamento: Jesus expandiu a razão de Seu amor para Seu insignificante servo e repetiu: "Tu guardaste o Meu mandamento". Ele ampliou ainda mais a declaração e disse: "Guardaste o Meu mandamento de perseverar". A oposição violenta por parte dos judeus na Filadélfia poderia ter levado ao ódio ou à resignação, e talvez até a um complexo de inferioridade, já que o líder da igreja teve que enfrentar os rabinos judeus eruditos. Mas nada disso aconteceu com ele, pois recebeu poder do amor de Jesus Cristo. É por isso que ele perdoou seus atacantes por suas falsas acusações e difamações, suportou-os pacientemente, e orou por eles constantemente. Ele não abandonou a esperança de que aqueles que estavam profundamente enraizados no Antigo Testamento deveriam também vir a reconhecer a glória de Jesus, o Filho de Deus.

A palavra de Paulo também se tornou realidade na Filadélfia: Porque a mensagem da cruz é para os judeus uma pedra de tropeço e para os gregos uma loucura. Mas para nós que estamos sendo salvos é Cristo o poder de Deus e a sabedoria de Deus" (I Coríntios 1:18-25). A verdade disso também estava sendo experimentada por cristãos judeus que se juntaram à igreja helenística na Filadélfia. Para eles a cruz tornou-se o elo entre a sua cultura semita legalista e a vida superficial dos gregos e romanos. Os seguidores de Cristo de ambas as culturas foram unificados na cruz, e o nome de Filadélfia (amor fraterno) foi sendo materializado neles.

Jesus foi capaz de falar uma profecia essencial nesta igreja de amor fraternal. Ele falou sobre a "hora de prova", que viria sobre toda a terra. Julgamento significa tentação de desertar da união da Santíssima Trindade. É por isso que Jesus ensinou todos os filhos de Deus a orar, “Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal" (Mateus 6:13). As verdadeiras tentações muitas vezes vêm do diabo e dos seus servos. Satanás já havia tentado Eva a duvidar, desobedecer e revoltar-se contra Deus (Gênesis 3:1-19). Ele queria tentar Jesus para uma salvação sem a cruz (Mateus 4:1-11). Jesus tinha avisado repetidamente aos Seus discípulos que muitos falsos profetas e o anticristo iriam surgir para enganar os crentes (Mateus 24:24; 2 Tessalonicenses 2:9-10; Apocalipse 13:14). João, o receptor da revelação, confirmou a profecia de Jesus, e deu à igreja critérios para ajudá-la a discernir e descobrir os tentadores (I João 2:20-24; 3:1-6).

Vez após vez, o diabo tenta levar o homem ao orgulho arrogante. Ele sussurra em sua mente que algum tipo de paraíso socialista de trabalhadores, ou a sociedade capitalista de bem-estar, resolverá os problemas da humanidade e os levará a uma liberdade, equidade e fraternidade sem limites (Filadélfia).

Hoje os arranha-céus estão crescendo nas grandes cidades do mundo como uma imitação mil vezes maior da torre de Babel. O chamado a um novo sistema mundial inspirado pelo diabo move a humanidade através de incontáveis confederações para o governo mundial final do anticristo. A rede global (www = 666) nos une em uma aliança temerosa. O Islão, em particular, está a ficar inchado, e um quinto do lucro das vendas de petróleo é destinado ao fortalecimento e à disseminação do Islão. Sem dúvida, Muhammad tornou-se um dos mais importantes falsos profetas que já viveram, que imunizou mais de um quinto da humanidade contra o Filho de Deus e Sua crucificação.

No entanto, a profecia de Jesus sobre a crescente provação, que levaria a um afastamento de Deus e do Seu Cordeiro, incluiu uma surpresa maravilhosa para o ministro na Filadélfia, que também incluiu a sua igreja: O Senhor o guardaria da hora da provação porque ele havia guardado seu mandamento de perseverar.

Esta promessa de Jesus significa uma exceção graciosa e um grande privilégio para aqueles que estão profundamente enraizados na Bíblia e fielmente comprometidos com Cristo: A hora da prova pode chegar rapidamente, escondida ou mesmo de modo amigável. O líder da igreja, no entanto, permaneceria a salvo dela. Não o afligiria, pois estava profundamente enraizado em Cristo, palavra de Deus. Ele não cairia em julgamento porque seu Senhor o protegeria do julgamento. Julgamento nem sempre significa perseguição. A perseguição é apenas o último meio disponível que o diabo tem para tentar os cristãos a recusar o Filho de Deus e Seu Pai. Paulo enfatizou aos Efésios a necessidade de vestir toda a armadura de Deus para que eles possam resistir no dia da prova e vencer o poder do maligno em nome de Jesus (Efésios 6:10-20). Ele gravou em suas mentes: Acima de tudo, tomando o escudo da fé com o qual você será capaz de apagar todos os dardos inflamados do maligno. E tomai o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus".

Jesus resumiu sua promessa ao líder da igreja em uma palavra gloriosa de esperança e um chamado encorajador:

Eis que Eu Venho Rapidamente! Segurem-se bem no que têm, para que ninguém tome a vossa coroa: Pela sexta vez nesta revelação encontramos as palavras: Vejam! Eis... que o pregador estava novamente para ver e contemplar algo sem precedentes. Como antes, começou com a convocação: Eis que eu ...! Ele precisava reconhecer Jesus como o Senhor e Rei vindouro, mantê-lo diante de seus olhos, e ser claramente focado nEle em todas as suas ações.

A morte não acaba com todas as coisas; ao contrário, o ponto final da história mundial virá com a explosão da glória do Filho do Homem, que brilhará mais brilhantemente que o sol, assim como João percebeu em sua primeira visão sobre Patmos.

Deus fará dos inimigos de Jesus o escabelo dos seus pés (Salmo 110:1). Não podemos vencer o comunismo, o capitalismo, o hinduísmo, o islamismo, a mariolatria ou o judaísmo anticristão. O Pai, porém, honrará o Filho e submeterá a Ele todos os espíritos malignos e poderes rebeldes, para que os condene e os pisoteie em cinzas debaixo dos Seus pés brilhantes. A segunda vinda de Jesus significa o início visível da Sua procissão triunfal na terra. Porque, assim como o relâmpago vem do Oriente e brilha para o Ocidente, assim também a vinda gloriosa de Jesus vencerá todos os habitantes da terra (Mateus 24:27,30). Jesus disse, “Eis que venho depressa!" A cada segundo que passa, Seu retorno se aproxima. Assim que a provação e a grande tribulação chegarem a todas as nações da terra (Mateus 24:29), Sua vinda estará próxima.

Não devemos tentar calcular o tempo da Sua vinda, a fim de predizê-la de antemão, mas sim despertar, esperar pacientemente e nos prepararmos para Ele. Talvez Ele tenha adiado a Sua vinda até agora para dar a todas as nações, línguas e fés a oportunidade de ouvir o Seu evangelho. Hoje, apenas um terço da humanidade se diz Cristãos. Os outros três ou quatro bilhões ainda não ouviram falar da Sua salvação. Quem quer que esteja ansiosamente à espera da segunda vinda de Cristo e esteja interiormente em agitação precisa de se colocar imediatamente à disposição de Deus em oração, em riqueza e numa vida fixa na missão mundial. Ainda há muito a fazer para que tudo esteja pronto para a Sua vinda. Você, também, prepara o caminho do Senhor.

Jesus elogiou completamente o líder da igreja em Filadélfia, dizendo-lhe: Segure firme o que você tem, para que ninguém possa tirar a sua coroa". A coroa da vitória pode significar que este homem foi o ministro mais justo e paciente de todas as igrejas na Ásia Menor, que se apegou à palavra de Deus e defendeu o nome de Jesus sempre que necessário. O próprio pregador não atraiu muita atenção na confusão desta cidade helênica. Jesus, no entanto, já havia reservado uma coroa de vitória para ele, que estava correndo uma boa corrida no serviço missionário em meio à crescente oposição.

Este homem tinha algo que os outros não sabiam nem apreciavam: A palavra de Deus era a sua força e o nome de Jesus era a sua chave para o reino dos céus. Ele sabia e confessou: o Crucificado não está morto, mas vivo; reina, governa e voltará em triunfo. Ele não diluiu o Evangelho através da lei dos judeus ou da filosofia dos gregos. Ele se apegou ao que tinha e, portanto, o poder de Deus não o deixou.

Seu curso, entretanto, ainda não havia terminado. Durante a corrida ele ainda não tinha uma coroa na cabeça. Ele viveu da poderosa nutrição do Evangelho, como Jesus havia dito ao diabo: "O homem não viverá só de pão, mas de toda palavra que procede da boca de Deus" (Mateus 4:4). Ele queria terminar sua corrida, olhando para esta promessa e para a mão guia de Jesus Cristo. Ele confiava na presença de Cristo e estava certo de que o inimigo mau não teria poder sobre ele.

A sexta palavra sobre a vinda de Cristo foi para fortalecer Seu servo na competição, e trazer mais paciência na fé.

Aquele que vencer, Eu o farei uma coluna no templo do meu Deus, e ele não sairá mais. Escreverei nele o nome do meu Deus e o nome da cidade do meu Deus, a Nova Jerusalém, que desce do céu da parte do meu Deus. E eu escreverei nele Meu novo nome: Quem e o que o líder da igreja ainda deveria vencer, visto que ele já havia vencido tanto? Não era nem mais nem menos que a mentira do diabo, seu poder, truques, dinheiro e sociedade. O diabo estava preparando uma conspiração mundial; era necessária uma vigilância dupla, para que as igrejas não fossem doutrinadas pelas mentiras do "pai da mentira". A vigilância no Espírito Santo permanece um dever fundamental de cada líder de igreja que está enraizado em Cristo. É seu dever ensinar e viver o puro evangelho.

Jesus declarou Sua intenção de fazer com que aqueles servos e servas, que mantiveram Sua igreja longe da influência de espíritos estrangeiros e que cuidaram para que Seu evangelho fosse proclamado entre os não-cristãos, fossem colunas eternas no templo de seu Deus.

A igreja de Jesus Cristo em todo o mundo é frequentemente chamada de templo de Deus, onde habita a plenitude do Espírito Santo (I Coríntios 3:16; 6:19; Colossenses 2:9-10; I Pedro 2:5-7). Jesus Cristo é a principal pedra angular e o fundamento do templo (Efésios 2:19-22). Aquele que quer construir fora desta fundação, constrói sobre areia. Os apóstolos formam o rés-do-chão e as portas do templo. A perspectiva de se tornar um elemento viável e carregador no templo de Deus foi concedida ao líder da igreja na Filadélfia. No Líbano, um general é chamado 'Ameed, o que significa um pilar no estado.

A promessa de nunca ser retirado do templo de Deus foi dada ao servo com pouca força. Ele deveria permanecer para sempre, pois tinha recebido o poder de carregar e carregar da palavra do seu Senhor. Que privilégio ser chamado para permanecer para sempre na presença de Deus e ser encarregado de realizar o serviço ao nosso Pai Celestial no céu! A eternidade não traz aos cristãos o sono da terra dos sonhos, mas a corresponsabilidade pelo serviço e a bênção no poder de Jesus Cristo.

O Senhor da glória falou pela nona vez na primeira pessoa "Eu”. Ele disse que Ele esculpiria visivelmente nesses pilares de Seu templo eterno três nomes, que deveriam mostrar exatamente quem era o doador desses pilares e, além disso, quem eles deveriam glorificar:

Primeiro de tudo, eles deveriam glorificar o nome de Deus, a quem Jesus chamou de "Meu Deus". O nome diz "nosso Pai que está nos céus". Ele é o verdadeiro Pai para todo aquele que é chamado de filho no céu e na terra. Ele é o Pai da glória, o Pai das luzes, o Pai dos Espíritos, o Pai da misericórdia e o justo e Santo Pai. Ainda restam 346 nomes diferentes para Deus na Bíblia Sagrada. Jesus, no entanto, nos ensinou a orar ao Seu Pai no céu. Este nome único de Deus ainda será esculpido nesta coluna de uma maneira visível para mostrar quem Deus é, e quem é que mantém a fidelidade ao Seu nome de Pai.

O segundo nome a ser esculpido na coluna era o nome da Nova Jerusalém, que desce do céu do Pai no céu. Esta futura cidade pode ser comparada a um enorme grande cubo, cujo comprimento, largura e altura são 2.220 km* em cada dimensão. A Nova Jerusalém no céu assemelha-se à Kaaba, mas está cheia de luz e glória. Este cubo branco de alegria não é pequeno, preto ou inacessível. Os crentes não terão que ir em torno dele, como os muçulmanos fazem a Kaaba em Meca, mas os cristãos fiéis devem entrar livremente na cidade. Eles próprios compõem a cidade que está cheia de vida, luz e poder. A Jerusalém celeste é santa, e não uma criação de terra, pedra e materiais perecíveis. Ela nasce do Espírito de Deus. Esta cidade talvez signifique a plenitude do Espírito Santo concentrado na união de todos os crentes. Em si mesma, a cidade celestial não seria importante, mas porque é a morada de Deus e do Seu Cordeiro, significa o centro do universo.

* cf. Apocalipse 21,16: 12.000 estádios x 0,185 km/estádio = 2.200 km.

Você tem o direito de cidadania na Jerusalém celestial? Os nomes do Pai e do Filho estão gravados em sua vida e são visíveis de longe? O nome da Jerusalém celestial está escrito em seu coração?

Jesus diz que escreverá um terceiro nome na futura coluna do templo de Deus, isto é, o Seu próprio nome. Na Sua segunda vinda, Jesus revelará o Seu novo nome, que não conhecemos agora. Até hoje nós lemos no Antigo e no Novo Testamento cerca de 250 nomes e atributos diferentes para Jesus Cristo. Qual é o nome mais precioso para você? O Senhor, o Salvador, a Palavra de Deus, o Cordeiro, o Filho do Homem...? Com qual nome de Jesus você mais se identifica? Seu nome futuro será mais glorioso e, ao mesmo tempo, mais humilde do que podemos imaginar. O homem em quem este nome será escrito é um homem com futuro. Ele está envolto nos nomes do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Aquele que tem um ouvido, que ouça o que o Espírito diz às Igrejas: No espectro das ondas sonoras, há altas e baixas frequências que estão muito além da capacidade do homem de ouvir. Precisamos de instrumentos eletrônicos especiais e monitores que nos permitam gravar e exibir tais frequências.

Da mesma forma, no domínio espiritual há revelações e palavras de Deus que ultrapassam a nossa compreensão normal e limitada. Para detectá-las é necessário um fone de ouvido espiritual ou um novo ouvido. Às vezes, o tímpano se fecha por causa de um único pedaço de cera, de modo que o ouvido precisa ser limpado. Se não conseguirmos ouvir bem a palavra de Deus, talvez precisemos de uma limpeza da nossa consciência e de uma confissão do nosso pecado. Só então nada mais impedirá o nosso ouvir da palavra de Deus.

Quando Deus fala com você, guarde Sua palavra, e não a esqueça rapidamente. Enche o teu coração com a Sua palavra, para que possas receber grande poder na tua alma. Nunca deixe a Sua palavra entrar num ouvido e sair pelo outro. Deus fala com você. Ouça, creia, agradeça, guarde e diga aos outros o que Jesus lhe deu para fazer.

Cuidado! Há outras vozes além da voz de Deus. Examine cada voz para ver se está em conformidade com a Bíblia, com as palavras do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Não acrediteis em todas as palavras, e particularmente naquelas que vêm de dentro de vós. Você não é algo especial, e você não é um profeta. Deus, porém, fala contigo porque te ama em Jesus Cristo. Todas as vozes que não glorificam o Pai e o Filho não são do Espírito Santo e não são verdadeiras.

ORAÇÃO: Poderoso Salvador, nós te damos graças com louvor porque abriste os olhos de teus inimigos arrogantes para que notassem que estavas com o humilde ministro. Tu os levaste ao arrependimento sincero, guardaste o Teu servo desde a hora da provação sobre todo o mundo, e garantiste-lhe que rapidamente virias à nossa terra. Ajuda-nos a Te adorar em fidelidade, apegar-nos à nossa coroa gratuita de justiça, a continuar na proteção do Pai, do Filho e do Espírito Santo, o único Deus, e a vigiar a Tua certa vinda.

PERGUNTA

  1. Qual é o significado das notáveis promessas dadas ao ministro da igreja na Filadélfia?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on November 09, 2020, at 03:06 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)