Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- Revelation -- 008 (The Son of Man Presents Himself)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bulgarian -- English -- French? -- German -- Indonesian -- Polish? -- PORTUGUESE -- Russian -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

APOCALIPSE - Eis que cedo venho
Estudos no Livro do Apocalipse
LIVRO 1 - EIS QUE VENHO EM BREVE! (APOCALIPSE 1:1 - 3:22)
PARTE 1.2 A PRIMEIRA VISÃO E SUAS CONSEQUÊNCIAS SOBRE A TERRA: A APARIÇÃO DO FILHO DO HOMEM PARA SANTIFICAR SUAS IGREJAS (APOCALIPSE 1:9 - 3:22)
PARTE 1.2.1 A GLORIOSA APARIÇÃO DO SENHOR RESSURRETO (APOCALIPSE 1:9-20)

3. O Filho do Homem se apresenta a Seu servo João (Apocalipse 1:17-18)


APOCALIPSE 1:17-18
17 E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; e o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno"

E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto: a glória de brilho branco cegou João. Ele caiu no chão como se estivesse morto. Deus habita em uma luz na qual nenhum pecador pode sobreviver (I Timóteo 6:16). Seu aparecimento enche de pavor, pois Sua luz penetra nos olhos e no coração, e isso queima toda a confiança humana. João foi dominado pela luz radiante de Cristo. A mesma coisa acontece sempre que a glória do Senhor toma uma pessoa: as pessoas ficam completamente abaladas. Moisés, Isaías, Ezequiel, Daniel, os pastores de Belém, Pedro e Paulo experimentaram o mesmo juízo e morte de seus orgulhosos egos. Nada permaneceu por si próprio.

Maomé não teve nenhum encontro pessoal com o Deus santo. É por isso que o seu "eu" permaneceu intacto. Ele não conhecia nem a glória do Senhor nem sua própria imensa depravação. Ele nunca esteve na luz e julgamento do Santo.

E ele pôs sobre mim a sua destra: Jesus, o juiz, inclinou-se para colocar a mão direita sobre o seu apóstolo, que estava deitado prostrado no chão. Jesus agiu da mesma maneira enquanto estava vivo na terra - Ele curou os enfermos e ressuscitou os mortos. Ele agiu de forma semelhante também quando abençoou Seus discípulos antes de sua ascensão. Quando ele põe a mão sobre as pessoas, elas são curadas, santificadas, enviadas e ressuscitadas dentre os mortos. Quem quer que tenha a mão direita de Jesus sobre ele, receba nova força da Sua plenitude (Daniel 8:18; 10:10; Mateus 17:7, entre outros). João, que tinha mais de 80 anos de idade na época, foi fortificado para uma nova obra através da mão de seu Senhor.

Dizendo-me: Não temas: Jesus falou diretamente com João e deu-lhe uma comissão, direção e liderança. As palavras do Filho do Homem não mataram o apóstolo, mas permitiram que ele consolasse seus seguidores. A princípio, João teve medo terrível quando o Senhor apareceu diante dele em Sua santidade. A luz de Deus expõe toda culpa e fracasso. Sua onipotência significa destruição e inferno para os pecadores - mas não para João. A voz de Deus transmitiu-lhe misericórdia, amor, salvação, fortalecimento, força, proteção e orientação.

“Não temas!” – isso foi uma ordem. João deveria ser lembrado das palavras que ele mesmo havia escrito: "Não há medo no amor; mas o amor perfeito lança fora todo medo" (I João 4:17-18). O medo do julgamento não era mais um problema para João, porque Jesus tinha sofrido a culpa do pecado por ele e pelo resto do mundo. Quem crer no Filho não será julgado; estes já passaram para a vida eterna (João 3:17-18; 5:24).

Eu sou o primeiro e o último; e o que vivo: Jesus se apresentou em Sua glória ardente com três dos 347 nomes de Deus que são mencionados na Bíblia. Ele não considerou usurpação ser igual a Deus (Filipenses 2: 6), pois Ele era e é “gerado do Pai antes de todas as eras, Luz de Luz, verdadeiro Deus do verdadeiro Deus”, conforme descrito no Credo Niceno. Nele, a plenitude da divindade habita corporalmente (Colossenses 2: 9).

Deus criou o mundo através da Sua Palavra. Ele a redimiu através de Jesus, Sua Palavra, e através de Sua Palavra Ele a julgará. Juntamente com o Seu Pai, Jesus foi o primeiro a existir. Ele existiu antes do começo da criação. A Palavra de Deus também será a última a ser sujeita a Deus (I Coríntios 15: 26-28).

Cristo é vitorioso! Depois dele, ninguém mais aparecerá na arena da história. Em Sua humildade, ternura, santidade e amor, Ele superou todos os poderes opostos a Deus. Ele negou-se completamente. A morte foi conquistada em Sua ressurreição; no final dos tempos, Ele erradicará este inimigo final de uma vez por todas!

Jesus possui o direito de usar o próprio nome de Deus para si, pois Ele tem vida em si mesmo (João 5:25-29), assim como Deus é a própria vida. Jesus é o Yahweh, o Eterno, que nunca muda. A Igreja reconheceu esse segredo desde o começo: "Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e por toda a eternidade" (Hebreus 13: 8). Jesus é o Vivo, a força elementar que sozinha pode matar a morte.

Eu estava morto: Jesus não só se revelou a João com os majestosos títulos de Yahweh, Ele também se revelou com uma característica especial - que nem o Pai nem o Espírito Santo tem: Jesus estava morto! Esta pequena frase é incompreensível. Como pode o Eterno morrer? A própria vida - a própria Fonte da Vida - não pode e não deve morrer!

Com esta frase, Jesus atestou a realidade de Sua encarnação e o propósito de se tornar humano: Ele nasceu para morrer. Ele assumiu uma vida natural e mortal, para que Ele pudesse se tornar um sacrifício vicário para todos. Sua morte é a maior maravilha de toda a história do mundo. No amor e pelo bem de seus inimigos, o Eterno suportou a dor da morte e bebeu o cálice da ira de Deus até a última gota. Quem puder compreender esse amor adorará o Cordeiro de Deus.

Jesus realmente morreu; Ele não apenas pareceu ter morrido. Sua crucificação é uma realidade histórica inegável, mesmo que os muçulmanos a neguem. O próprio João ficou de baixo da cruz na qual Jesus, usando uma coroa de espinhos, foi pregado. Ele ouviu e documentou seu último clamor: “Está consumado!” (João 19:30).

O que foi terminado? Jesus sofreu em nosso lugar e morreu em nosso favor. Ele era o sacrifício santo e expiatório pelo pecado, que satisfazia plenamente os requisitos justos de um Deus santo. Através de Sua morte vicária, a ira de Deus foi satisfeita de uma vez por todas, e o mundo caído foi reconciliado com Ele também. A vitória sobre todas as tentações de Satanás foi completada. Jesus profetizou com precisão e em fé sua Sua vitória sobre a morte e Sua ressurreição (Mateus 16:21; 17:23; 20:19).

Eis que estou vivo para sempre: Jesus desafiou João a olhar para Ele com confiança e entender que Ele, o Crucificado, estava vivo. No início das perseguições da Igreja primitiva, João devia saber com certeza que Jesus, por Sua própria morte, aboliu a própria morte e trouxe a vida eterna à luz (II Timóteo 1:10). Jesus é a primeira pessoa que ressuscitou vitoriosamente de seu túmulo. Ele assim também derrotou aquele que detinha o poder sobre a morte: Satanás (Hebreus 2:14).

Desde então, a vida de Jesus Cristo tem aumentado continuamente através de Seus seguidores redimidos. Jesus está vivo com Deus como uma pessoa independente; contudo, ao mesmo tempo, Ele está presente em sua Igreja. Ele é a Cabeça e Sua Igreja é o Seu corpo (Romanos 12: 5; I Coríntios 12:27; Efésios 4:25).

A vida do Senhor não está mais sujeita ao tempo e ao espaço. Ele existe em toda a eternidade. Quem O segue, continuará vivendo nele infinitamente. João devia entender que o Senhor da glória, que colocou a mão sobre ele, é o mesmo Filho do Homem que anteriormente permitia que ele descansasse a cabeça contra seu peito. Ele vive! Todo pessimismo, medo e preocupação são, portanto, incredulidade e pecado. Porque Jesus vive, os cristãos têm todos os motivos para serem otimistas, ativos e consolados. Sua vida é nossa força e esperança.

Eu tenho as chaves do hades e da morte: Jesus entregou as chaves do reino dos céus a Pedro e aos outros apóstolos (Mateus 16:19; 18:18; João 20:22-23). Quem acredita em seu testemunho de que Jesus é o Filho de Deus, vive eternamente. Contudo, Jesus não pôde entregar as chaves do hades e da morte aos seus discípulos, porque estes pertencem ao seu reino de autoridade. Satanás queria que todas as pessoas fossem ligadas a ele como devedoras, mas Jesus abriu os portões da prisão da morte. Ele libertou os crentes. Sua vida anima aqueles que estão mortos em pecados. Sua posse das chaves é um sinal de sua autoridade atemporal. Antes de sua vida de conquista da morte, todos os césares, líderes, presidentes e ditadores aparecem como casualidades de curta duração. Mesmo filosofias e partidos políticos que não têm resposta para o mistério da morte são inúteis.

ORAÇÃO: Senhor Jesus, Juiz Eterno, nós Te louvamos porque o Senhor ergueu o apóstolo João do medo e da quase-morte quando Ele te viu em Sua gloriosa autoridade, e o Senhor o impediu de ficar com medo porque És o primeiro e o último. Estavas morto e estás vivo, nos conduzindo à Sua vida eterna. Nós te magnificamos e nos regozijamos no teu amor eterno.

PERGUNTA:

  1. Qual é o segredo surpreendente na vida de Cristo?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on November 09, 2020, at 03:13 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)