Waters of Life

Biblical Studies in Multiple Languages

Search in "Portuguese":
Home -- Portuguese -- John - 102 (Jesus intercedes for his apostles)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Bengali -- Burmese -- Cebuano -- Chinese -- English -- Farsi? -- French -- Georgian -- Hausa -- Hindi -- Igbo -- Indonesian -- Javanese -- Kiswahili -- Kyrgyz -- Malayalam -- Peul -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Somali -- Spanish? -- Tamil -- Telugu -- Thai -- Turkish -- Urdu -- Uyghur? -- Uzbek -- Vietnamese -- Yiddish -- Yoruba

Previous Lesson -- Next Lesson

JOÃO – A Luz Resplandece nas Trevas
Um Curso de Estudos Bíblicos no Evangelho de Cristo segundo João

PARTE 3 – A luz brilha no Círculo dos Apóstolos (João 11:55 – 17-26)
E – A oração intercessória de Jesus (João 17:1-26)

3. Jesus intercede por seus apóstolos (Joao 17:6-19)


JOÃO 17:9-10
9 Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. 10 E todas as minhas coisas são tuas, e as tuas coisas são minhas; e nisso sou glorificado.

A oração de Jesus foi para todos que acreditaram em Deus Pai, em união com o Filho através dos tempos eternos. Aqui Jesus em sua oração de despedida não roga pelo mundo todo, desde que o homem recusou-se ao Espírito do Senhor e escolheu viver por conta própria. Jesus concede seu amor e carinho à sua Igreja e aos eleitos de Deus. O cristianismo não reconhece uma Igreja mundial, a Igreja é composta apenas da multidão dos fiéis escolhidos dentre todos os povos. Portanto, a igreja é diferente, selecionada e purificada, porque representa os primeiros frutos da morte de Cristo. Jesus não reivindica uma possessão especial para si, mas várias vezes testemunhou que elas eram uma propriedade especial de seu Pai, mesmo que o Pai havia concedido a ele. O Filho permaneceu humilde, e se apresentou ao seu próprio ao Pai em oração.

Jesus reconheceu que ele estava sendo glorificado por aqueles que confiaram nele, enquanto que nos apressamos para criticar e dizer que as nossas Igrejas são fracas e um escândalo para Cristo; ele sonda mais profundamente do que isso. O Pai nos vê à luz da cruz. Ele derramou o Seu Espírito para os crentes através do Filho. Esse derramamento espiritual foi a prova da eficácia da cruz. Cristo não morreu em vão, mas o Espírito Santo na vida dos crentes produz muito fruto. Assim, cada renascimento traz glória a Cristo.

JOÃO 17:11
11 E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós.

Cristo estava retornando ao seu Pai com a certeza do que estava para ocorrer, que o traidor se aproximava com um bando de soldados para capturá-lo. Jesus podia ver além de sua morte, via a glória de seu Pai, e profetizou: "Eu não estou mais no mundo", embora ele ainda estivesse no mundo. Jesus considerava o mundo como um largo rio com suas águas correndo com maior velocidade, por vezes transformando-se em uma cachoeira caindo de uma altura. Cristo estava nadando contra a corrente, e reverteu a maré humana. Ele sabia que seus discípulos não tinham a força para opor-se ao mal. Então ele pediu ao Pai para manter seus entes queridos em seu nome.

Em sua petição, Jesus usou uma frase original "Oh, Pai Santo". Diante da enorme maldade do mundo, o Filho testemunhou a santidade do Pai, que é inocente, sem malícia e sem falhas. Deus Pai é puro e santo. Sua santidade é a veste do seu amor que é o resplendor da Sua glória.

Daí o nome santo de Deus é um refúgio onde os discípulos se abrigam do domínio do tentador. Quem vive em Cristo, vive no Pai. Aquele que habita no Filho, no Pai habita. A paternidade de Deus garante a Seus filhos que Ele irá mantê-los em sua providência e proteção. Satanás não pode arrebatá-los da mão do pai.

A condição que garante a sua proteção é que eles não vivem no ódio e discórdia, mas perdoam diariamente com um amor constante. Este amor não brota do próprio homem, mas quem permanece no amor da Santíssima Trindade recebe paciência, poder e amor para com os outros. Cristo pediu ao Pai para nos manter em sua comunhão, ser um com ele sempre como o Filho é um com o Pai. Essa frase não é uma análise dogmática ou uma descrição teórica para a nossa relação com Deus, e o pedido de despedida de Jesus foi respondida pelo Pai. Nossa fé não é arrogante ou mística, é o fruto da oração de Jesus e seu sofrimento por nós.

JOÃO 17:12-13
12 Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse. 13 Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos.

Pela paciência e discernimento, Jesus manteve seus discípulos das tentações de Satanás, apesar das diversas personalidades que tinham. Ele disse a Pedro: "Satanás tem pretendido te agarrar, mas eu orei por você, para que sua fé não desfaleça". Então, a nossa fé sobrevive graças a sua intercessão, e nós somos salvos pela graça.

Esta capacidade de manter seus seguidores foi retirada do Judas por sua rendição ao Espírito da destruição e por resistir ao Espírito da verdade. Ele se tornou um filho da perdição. Nosso Pai celestial não forçar ninguém a receber o dom da adoção. Ele sabe o que está nos corações das pessoas e do curso dos acontecimentos de antemão, de modo que até mesmo a traição de Judas havia sido registrada no Antigo Testamento mil anos antes de acontecer. No entanto, Judas continua a ser responsável pela rejeição do interesse de Cristo por ele. Nosso poderoso Deus não é ditador, mas um Pai sábio, um aspecto do seu amor é o dom da liberdade para os seres humanos.

Jesus viu o seu caminho para o Pai como um caminho iluminado no meio da escuridão. Nem Satã, nem pecado, nem a morte foi capaz de impedir seu retorno a Deus. O Filho sempre foi santo e, por essa razão, a alegria encheu seu ser. O pecado não rói sua consciência. O medo não ofusca suas orações. O Filho estava livre e protegido por seu pai, sempre obediente. Nosso Deus é o Senhor da alegria e júbilo. Jesus rogou ao Pai para esta alegria divina penetre o coração dos seus discípulos. Ele não queria que os seus seguidores se entristecessem, ao contrário, ele queria que eles fossem cheios de felicidade e alegria, que a alegria do céu pode ser deles, apesar de viver no meio da escuridão do mundo e do desespero. Alegria de perdão e de agradecimento para o nosso lugar na família de Deus são frutos da súplica de Cristo em nosso favor.

ORAÇÃO: Senhor Jesus, obrigado por interceder por nós junto ao Pai. Nós te louvamos por nos manter na fé através de suas súplicas por nós. Nós te adoramos por se preocupar conosco. Sua presença e o Espírito do Pai nos dão vida e riqueza espiritualmente e bem-aventurança eterna. Nós agradecemos por suas orações por nós que vivemos por sua intercessão.

PERGUNTA:

  1. O que nossa proteção em nome do Pai significa?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on April 10, 2012, at 11:52 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)